sábado, 31 de dezembro de 2011

New Year's Eve



Tudo que é bom merece Bis e assim o fizemos nesse sábado: repetimos a receita do sábado passado: PRAIA!!! Hoje com um pouco mais de praparativos, brinquedos, piscininha e a companhia da titia Nanda.

Mais uma vez foi nota dez, tanto que estendemos mais a estadia e ficamos um pouco mais com direito a lanche e tudo. Em casa, mais uma vez farra na piscina e depois dormir! Estou aqui me arrumando, esperando o povo acordar para irmos para a ceia na casa da minha sogra com meus sogros, tia Di, Lena, Naldo e Kinha. Mais uma vez família reunida pra ficar mais gostoso. Tenho altos planos pra amanhã. Se conseguir executar, venho aqui contar.

Feliz Ano Novo para todos. Desejo para todos mais um ano de realizações. Saúde e paz e para os demais, corremos atrás.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

NATAL


Esse Natal em particular não criei muita expectativa no quesito festa, pois já havia viajada para a Bahia, vi minha família e amigos, estava trabalhando e até pensei que estaria trabalhando no próprio sábado mesmo e com as crianças de recesso em casa nem tive tempo de fazer compras, ir num salão nem pra fazer a unha, diferente dos dois anos anteriores, que eu estava até então "desocupada" e nos Natais me ocupei quase um mês de antecedência apenas para os preparativos.

Mas, pra variar, as coisas surpreendem e tive uma véspera de Natal mais do que excelente, a ceia ótima e o dia propriamente dito muito bom. Não trabalhei como pensei mas não tinha nenhuma programação. De manhã cedo, no sábado, meu marido teve uma idéia, que a princípio seria uma idéia de "gerico" e que acabou sendo fantástica. Ele resolveu ir à praia ao ver o Solzão que abriu o dia. Eu pensei: ai meu Deus, eu não gosto de praia, as crianças surtam na praia e vai ser aquele caos, mas então ele falou: vamos no calçadão, tomamos uma água de coco e se eles quiserem, vamos pra areia. Eu topei. Preparei a bolsa, coloquei biquini neles, protetor solar, chapéu, levei água e pronto.

Não me ative a detalhes como em outras vezes como por exemplo brinquedos, piscininhas coisa e tal, afinal não apostava nessa empreitada. Também porque se fosse levar tudo possível, seria mais um carro e mais um dia de preparação. Minha gente, só pra quem vai pra praia com três pequenos pra saber o que é mesmo necessário. A amiga Uli, do blog triabençoados tem até um post sobre praia e fez até uma lista sobre as necessidades que colocou como pré-requisito pra sua próxima ida à praia. kkk Como fomos à praia pertinho de casa, levei o essencial para a sobrevivência e fomos. kkk

Que mané calçadão, que nada, fomos direto pra areia e eles já gostaram de cara. Todos na praia torciam o pescoço em nossa direção, apontava e falava e os que nãoi resistiam perguntavam diretamente se eram trigêmeos. rsrs Eu já tinha esquecido dessa fase de "chamar atenção" e relembrei achando graça. Como andou tudo bem, solicitamos sombreiro, cadeiras, comprei baldinho no moço que estrategicamente vende isso, mas acho ótimo pois prezo pela praticidade (e nas minhas circunstâncias, preciso de praticidade!).

Tivemos uma manhã MARAVILHOSA, com uma vista linda da praia, na cidade maravilhosa, em paz, sem barulhos, em família, só nós 5. É muito bom amigos e parentes, mas esses momentos à "sós" são preciosos e eu curto muito.

Quase 11h voltamos pra casa, continuamos nossa farra num banho de piscina seguido de banho de mangueira, almoçamos e fomos dormir! Ao acordar, nos arrumamos e fomos pra casa da avó Marly. Lá foi aquela ceia tradicional com muitos comes e presentes. SUCESSO total e literalmente tivemos boas festas! ;-)

Dia seguinte fomos novamente pra cada da avó, almoçamos, depois fomos pra casa descansar, de noite encaramos um rodízio de pizza com tios Naldo e Kinha e de noitão tia Nanda chegou pra ficar com o trio! Eita maravilha! Melhor só mesmo se pudéssemos unir o Rio à Bahia e juntar todos os queridos nesse dia tão feliz, mas como a felicidade plena pe muito difícil, seguimos com as nossas possibilidades e vamos aproveitando sempre o que podemos. Beijos para todos e ótimo fim de 2011. Que a virada de ano, traga consigo ares renovados, espíritos purificados, boas energias, ótimas intenções e acima de tudo realizações! PAZ pra todos.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Recesso Escolar

Deveria ter sido planejado, mas como as vezes somos surpreendidos com as mudanças, nem sempre conseguimos nos preparar para todos os acontecimentos e assim aconteceu com nosso recesso por aqui.

Como as crianças começaram a escolinha no modelo de escolaridade, num regime de 4 horas/dia apenas, sabia que tudo seria por minha conta e planejava passar para o integral gradualmente e com isso, me informaria melhor. Como me empreguei, não foi tão gradual assim e nem todas as dúvidas foram sanadas.

Pra mim integral era integral. INTEGRAL. Pagava-se diferenciado para ter assistência total, afinal quem opta por isso é porque trabalha e nem sempre as férias da mãe coincidem com as escolares. Piorou ainda quando essa mãe está num emprego novo... Aí, nessa história, peguei as crianças na escola dia 16.12 e as "tias" deram tchau e desejaram Feliz Ano Novo. Como assim? JESUS! E agora? HELP!

Como estou em trabalho novo de novo (pois já migrei pra outro, que iniciei logo ao voltar da Bahia, bem recente)não seria de bom tom pedir 15 dias de férias assim de cara, até porque estou em treinamento e é meu total interesse que esse acabe logo pra que eu possa finalmente faturar! rsrs Enfim, coisa boa é que meu horário agora é um pouquinho menor, 6h apenas e volto de tarde ainda, então bati o fio pra minha sogra e tia Di que correram pra desfazer suas agendas pra prontamente nos atender. Graças a Deus.

Ainda, tive uma idéia e uni o útil ao agradável: aproveitando que tanto a tia Nanda e as crianças ficaram com saudades da temporada na Bahia e tia Nanda foi aprovada em seu estágio intensivaço, dei a ela de presente de Natal a passagem pra vir pra cá, passar o Reveillón conosco e cuidar das crianças por uma semana. É ou não é um super negócio? kkk Pra mim é mais do que ótimo! Assim, não sobrecarrego ninguém, fica 1 semana pra a avó e Di e mais uma semana pra Fernanda e Di (ôpa, olha Di aí sobrecarregada. mas porque ela faz questão). Não que minha sogra não goste, mas é que pra ela é mais difícil dormir fora de casa e ir e vir todos dias cansa mais do que cuidar das crianças mesmo.

Enfim, no fim das contas eu vou trabalhar tranquila, as crianças ficarão bem, matamos saudades da tia e sei lá mais o que. No fim das contas, como sempre, deu tudo certo. Ou melhor, está dando. Contando os dias pra tia Nanda chegar. Eita que vai ser uma festa. As crianças estão com muitas saudades e perguntam por ela o tempo todo. Devo agradecer a Deus por ter as duas (sogra e Di) por perto e ainda mais por ter condições de trazer minha irmã pra nos ver e ao mesmo tempo ajudar. Tenho que aproveitar que ela tá de férias também pois nem sempre ela vai estar à disposição...

Os primeiros dias foram bons pra mim e para as crianças. Cheguei e elas estavam super dispostas contando as novidades, quanto à avó, bem, feliz imagino que esteja, satisfeita por estar atarefada com os netos também, mas não posso garantir quanto às condições que ela chega em casa. kkk Coitada, deve chegar acabada! E Di então, enfrentando trânsito pra vir e voltar!

É crianças, só muito amor mesmo. Hoje eu agradeço por vocês, mas leiam e releiam esse blog e vocês vão ver que vocês têm muito que agradecer a elas também! Obrigada por todo o apoio que sempre encontro em todos, beijos mil e até loguinho.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Temporada na Bahia


Contei e expliquei que acabamos tirando umas "férias" relâmpago e decidida em cima da hora para a Bahia. Antecipamos a fim de visitar os amigos e familiares como poderíamos fazer em qualquer outro momento mas queríamos aproveitar o período de festas e férias para fazê-lo. Na busca por passagens, optei pelo início do mês pois a diferença de valores para o final era enorme e agora nós somos 5 pagantes! (Pra quem não sabe, a partir de dois anos, já no vigésimo quarto mês a criança paga 60% do valor da tarifa até 11 anos de idade e depois daí, inteira.). Na verdade, nesta minha busca eu descobri que é um difencial da Gol esse abatimento de 40% porque na Webjet por exemplo, me foi dado apenas um valor, independente de ser criança ou adulto, ou seja, tarifa cheia. Se esta informação estiver incorreta ou se alguém souber de algo diferente, por favor informem aqui. Todos nós gostamos de saber quem nos oferece melhores condições, não é mesmo?

Bom, na correria ou não tudo transcorreu PERFEITAMENTE bem. Melhor do que a encomenda. Falei na postagem anterior que o vôo de ida foi tranquilo e o de volta melhor ainda. Rodrigo dormiu o vôo todo, sendo acordado apenas na aterrisagem pois tinha de sentar e colocar o cinto. As meninas na volta ficaram com a mami aqui. Comeram as duas horas de vôo! rsrs Chegou a ser engraçado porque Natália entendeu que quem tinha a comida era a aeromoça e assim que acabou seu biscoito salgado e sua rosquinha de coco, ela levantou, virou a cabeça para um lado e para o outro como se estivesse procurando e gritou suspendendo a mãozinha: "M(ô)ça, kéu maix". Meu Deus, como repetem tudo!!!

Achei que dez dias seria muito, pois eles iriam estranhar a casa, a cama, bla bla bla e já imaginei um cansaço absurdo e rezei pedindo calma e paciência pra que desse tudo certo. Mas como eu disse: eles surpreenderam e não estranharam nadinha de nada, dormiram todas as noites bem, acordavam às dez da manhã e eu trabalhei até menos do que se estivesse em casa pois tinha voluntária demais pra ajudar. Era muito engraçado. Quando o primeiro acordava, eu levantava e ia ao banheiro, escovar os dentes, etc e esse saía independente pela casa à procura de companhia e logo achava. Então isso já era ótimo. Eu trocava de roupa tranquila pois sempre ouvia alguém dando bom dia a eles e sabia que eles já estavam com algum responsável. Quando eu finalmente ia ao encontro do meu filho, este ou esta já estava sendo alimentado por alguém! kkk Então, um trabalho a menos.

Na maioria dos dias Fernanda (minha irmã) esteve comigo e nesses dias então era minha folga! O banho era por conta dela! uhu!!! Teve um dia que Fernanda foi mais tarde, mas a Dinda estava comigo e cuidou do banho. Enfim, era um bando de mulher grande pra ajudar e eles agora sociáveis do jeito que estão, foram com todos e eu relaxei.

Saímos todos os dias. Sempre com direito a parquinho em shopping, compras de Natal e sempre acompanhados por amigos. Enfim, ritmo de férias mesmo. Consegui ver um monte de gente, matar (ou aumentar) a saudade (depende do ponto de vista de quem vê). Muitos presentes, muitas farras e reencontros. Um assunto à parte foi a ALGAZARRA que fizeram com o primo Peu, principalmente Rodrigo. Pedro tem 7 anos, mas nem ele nem as crianças pareciam se importar ou sequer fazer contas da diferença de idade entre eles e por muitas vezes brincavam como iguais.

MUITO engraçado ver Rodrigo repetindo TUDO que Pedro fazia ou falava. E no final perceber que Pedro já estava disputando atenção com eles. Mas diferenças à parte, dos dois lados a separação fará uma falta enorme. Percebi a diferença que Rodrigo tratava ele. Parece que eles falavam a mesma língua por serem meninos. Ele tem duas irmãs, mas lá, o xamego era Peu! E cada brincadeira estranha! "Bruta" mas em nenhum momento teve desentendimento ou choro. Simplesmente eles brincavam assim. Pra mim é estranho, afinal eu sou mulherzinha e tive mais duas irmãs mulherzinhas, então... estou descobrindo esse mundo infantil visto pelo lado masculino agora, tentando entender e atender meu filho.

Passei o dia do meu aniversário de casamento lá e acabei comemorando de forma atípica, mas boa também. Com a presença dos três e escolhendo um lugar melhor pra eles e algo que eles gostassem de comer. rsrsrs Mas nada melhor do que um grande momento família pra celebrar a união do casal né? Afinal eles são os frutos dessa união. Mas ano que vem vamos comemorar à dois tá bom baby? De minha parte tá combinado. kkk

Não dá pra contar tudo, afinal eu usei as 24h de cada dia que estive lá e em dez dias dá pra fazer muita coisa se bem administrado! rsrs Fato é que a viagem foi um sucesso, não consegui encontrar com todos os amigos infelizmente por conta dos desencontros de agendas, mas espero corrigir a falha na próxima vez. Quem nos curtiu FULL time foi tia Sônia (mãezona de consideração) e toda a sua família que nos hospedou, vô Adelson, tia Nanda e dinda que não desgrudaram em nenhum momento. Conseguimos ver tia Érika, Marla e Solange também algumas vezes e até a vó Agatha conseguimos encontrar em um Passeio à Praia do Forte. Com tudo isso, termino o post afirmando que a viagem foi bem sucedida e que o objetivo foi alcançado. Mil beijos e estou com mais saudades ainda de todos.

P.S.: Até porque as crianças não vão me deixar esquecer. Perguntam a todo momento por TODOS e mais insistentemente por Didanda (Luisa chamando Fernanda), Dinda (procurada por todos), Dedé (procurado insistentemente por Natália) e Peu (também bastante requisitados por todos).

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Natal Antecipado

2011 teremos dois Natais. Um Natal com a família baiana antecipado e um Natal com a família carioca na data certa. Viajamos para Salvador dia 1 de dezembro. O vôo foi excelente, como já pagam passagem, o trio viajou sentadinho cada um em sua poltrona, brincaram com brinquedinhos que mamãe levou, conversaram com os vizinhos e lancharam batata chips e rosquinha de coco que a Gol deu com água com direito a bandeijinha abaixada e tudo. rsrsrs Brigaram um pouquinho, disputaram atenção, mas nada diferente do que seria em casa. Não dormiram e nem reclamaram de dor no ouvido. Poucos meses e algumas mudanças né? Postei sobre nossa viagem pra Gramado fim de maio e o vôo já não foi assim tão tranquilo. Graças a Deus, o tempo tá passando e as coisas melhorando. Nossa estadia na Bahia foi uma festa só. Todos na expectativa nos esperaram com festa e as crianças nem sentiram falta de casa. Ficamos hospedados na casa de minha tia Sônia, que hoje mora na casa que nós moramos por 1 ano. Ambiente familiar, pessoas familiares, pois estivemos juntos em setembro e o resultado não podia ser melhor.

Desde o primeiro dia que temos festa. A recepção no aeroporto já foi calorosa. Dinda não ia deixar passar, tia Nanda nem pensar, vô Adelson então... Na casa da tia todos acordados esperando e desde já começaram a encher o trio de presentes... ô vidinha mais ou menos. No dia seguinte meu povo brincou com Primo Peu e almoçamos no shopping. Sábado tia Nanda passou o dia conosco, enfiou a mão na massa e cuidou pra valer da galera. Ela mesma deu 2 banhos em cada um dos três. Além de muitas fraldas premiadas. Kkk Não basta ser tia, tem que participar. Mais shopping, parquinho, Papai Noel. Domingo teve almoço na casa de minha tia. Cozido e Feijoada era o atrativo, além de juntar a família pra matar a saudade dos Baianocas. Mais uma vez, bem do jeito que eu gosto o resultado não podia ser diferente: CASA CHEIA.

O Bivô marcou presença, e demais tios, primos e amigos marcaram presença na festa. Nem preciso dizer que ganharam mais presentes e mimos. Comeram cozido com as primas Nane e Mila, tomaram banho com a dinda Ana e até colocar pra dormir a dinda colocou. Folguinha pra mamãe! Depois jogo, depois casa da dinda Ana pra ver os tios Luis e Isabela e ainda Luis Paulo. De lá seguimos pra sorveteria com parquinho pra encontrar os tios Rick e Cláudia e o tio Cadidé. Muita prosa pra colocar em dia, voltamos pra casa quase meia noite e cama!!!

Segunda-feira visitamos vô Adelson e à noite saímos pra comemorar aniversário de casamento de forma atípica: Com as crianças, numa pizzaria temática, pois o objetivo era ter parquinho pra entretê-los. Como disse minha tia: foi um aniversário de casamento diferente, mas não errado. rsrsrs Pena que papai teve que ir embora pra trabalhar. Estaremos aguardando ansiosos pelo sábado que ele irá voltar. Amanhã é feriado na Bahia e vamos pra Praia do Forte pra encontrar vó materna. Mais bagunça com certeza. Até mais e um beijo com gostinho de acarajé! ;-)

domingo, 27 de novembro de 2011

MAIS MUDANÇAS

Bom minha gente, demorei um pouquinho pra trazer a notícia, mas tenho MUITAS novas. Novas Boas. Esperei um pouco pra colocar a casa em ordem e estar confirmado o êxito das mudanças pra poder relatar com detalhes para vocês.

Vi um anúncio de emprego no jornal num domingo e mandei meu currículo pra testar, quem sabe né? Mas fui pega de surpresa pois na segunda de tarde recebo uma ligação chamando para entrevista. E agora? Marquei pra quarta de manhã e chamei minha sogra e tia Di pra ficar com as crianças para que eu pudesse comparecer na entrevista. Fui e fiquei no aguardo. Na quarta-feira mesmo recebi a notícia da aprovação e solicitação para comparecimento na quinta-feira para começar o treinamento. E agora??? De novo a sogra e Di entram em ação e eu dou continuidade à minha investida. Ainda bem que foi uma semana de treinamento que era apenas pela manhã e de tarde então pude fazer as mudanças necessárias para conseguir a façanha de voltar a trabalhar.

Uma tarde fiz compras pra deixar estoque em casa, uma vez que eu não mais teria tempo sobrando pra fazer dez visitas ao mercado quando bem entendesse. Fiz minhas provas da faculdade pois calhou de cair coincidentemente com a semana de prova. (eita sorte!), Fui na escola das crianças alterar o horário que antes era de apenas escolaridade para integral e sei lá mais o que que eu tive de fazer...

Hoje minha vida está assim: acordo 6:30, arrumo o trio e me arrumo, levo os três pra escola (a essa altura já deu 8h) chego no trabalho 8:30 (sorte que não é tão longe) e fico o dia todo. Saio quase 18h e pego as crianças umas 18:40. Chegamos em casa 19h, e começo a maratona de preparação para o dia seguinte (desfazer mochila e fazer novamente, trocar roupa suja por limpa, ler agenda e providenciar o que sempre pedem pro dia seguinte, fazer mamadeira, trocar fraldas, colocar trio pra dormir, separar roupa pro dia seguinte, escrever no blog e o que mais eu conseguir nesse interím).

No fim das contas está tudo muito bom. Meu povo agora dorme mais cedo. Eu fiquei com o coração na mão o primeiro dia que deixei eles 12h na escola, mas muito aliviada quando fui buscar pois encontrei os três sorridentes me contando todas as novidades daquele dia diferente. Eles não sofreram NADA. No primeiro dia apenas que estranharam o fato de tomar banho, comer e principalmente dormir na escola e com pessoas estranhas. O pessoal da creche me falou apenas que tiveram dificuldade de fazê-los dormir, mas que não choraram hora nenhuma.

No dia seguinte ficaram muito bem e tomaram banho e dormiram com muita tranquilidade. Saíram da escola felizes e falantes. Mais uma vez saldo SUPER POSITIVO, estou ainda mais feliz e realizada. Poder retomar minha vida no âmbito profissional, alimentar o cérebro com coisas novas, me sentir um pouco mais útil e importante. rsrs Isso tudo sem prejudicar meus filhos? Melhor ainda! Estamos todos contentes, graças a Deus. E como tudo o mais, estou fazendo com muita cautela e bem pensado. Se não der, retorno à minha casinha e começo de novo. Sem maiores traumas.Vivendo e aprendendo, tropeçando e continuando, seja como for, faça tudo sorrindo! Beijos




quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Espelho e Fotografia

O espelho, desde cedo é usado para estimular os bebês, que ficam fascinados com o que vê, mesmo sem a mínima noção do que aquela imagem representa. Com 2 anos, a criança já começa a fazer experiências e somando à sua capacidade de raciocínio, começam a desvendar um antigo mistério e entender que aquela imagem nada mais é do que eles próprios.

No caso de gêmeos, trigêmeos, falo por experiência própria e não por dados científicos, essa compreensão se torna um pouco mais complexa, pois além de identificar a imagem do espelho, eles têm que entender que são iguais ao irmão (a). Por exemplo, a Luisa e a Natália já entenderam que o espelho reflete uma imagem de alguém, mas pra elas, são a irmã. A Luisa se olha no espelho e diz: "Mimã". Lógico, aquela imagem é igual a irmã que ela vê todo dia. Ela não sabe que ela é igual à irmã.

A mesma coisa acontece com as fotos. Rodrigo é capaz de ver fotos e dizer quem é quem, dentro dos familiares. Ele vê foto e aponta: mamãe, papai, vovó, vovô, titio, titia, a si próprio e até mesmo distingue a Luisa da Natália. Ontem mostrei uma foto dos três ontem e ele: Didido, Luisa e Tatália. Nota 10! Ele sabem exatamente quem é quem.

As meninas, desde sempre se vêem na foto e dizem: "Mimã". Um dia desses, mostrei uma foto onde estavam as duas juntas e a Natália que estava comigo disse: "óia, Mimã" (apontando para Luisa) e então apontou para si própria e disse: "Ôta Mimã!". Eu não acreditei e comecei a rir. Então a irmã dela aparece duas vezes ou ela tem duas irmãs, mas ser ela era impossível. kkk Criança é mesmo uma graça e eu vou curtindo cada gracinha com orgulho.

Bom, Rodrigo que não é idêntico, já se reconhece tanto em foto quanto em espelho e fala todo orgulhoso quando a mamãe pergunta: "Quem é?" "Didido!".

Bobagem ou não, faz parte do desenvolvimento e eu achei a história interessante. Espero que gostem. Eu aqui sigo coruja e eles seguem aprendendo e surpreendendo dia após dia. Beijinhos.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Hora de dormir parte II

Quem tiver interessado, dá uma olhada na Hora de dormir parte I que eu postei há um ano atrás falando da rotina do trio pra dormir, falando como eu sempre planejei, das dificuldades por serem três e no fim como estava sendo feito e eu considerei naquele momento bem sucedido.

Mudanças aconteceram por conta da necessidade e depois da acomodação e o meu trio passou a adotar práticas de dormir longe de serem consideradas ideais. Eu sempre disse que não levaria meu filho pra minha cama. Ouvi muitas histórias e fiquei assustada de ver a dificuldade que é desfazer esse mal constume. Enfim, desde os 8 meses meus três já dormiam em seus berços sozinhos em seu quarto e eu monitorava com a babá eletrônica.

Com a mudança para o Rio de Janeiro passei no total uns 20 dias em hotel, sem berço e então distribuímos a família numa cama king size e fizemos a farra. Naquele momento foi gostoso pro papai e mamãe também, afinal quem não gosta de dormir sentindo aquele cheirinho gostoso de bebê? De aconchegar e ser aconchegado... Problema foi que eles também gostaram muito e não quiseram mais voltar pro quarto deles, ainda mais numa casa nova e em um quarto estranho.

No início eu tentava: depois que eles dormiam na minha cama, levava eles para o berço, mas conforme eles iam acordando e percebendo que estavam em outro quarto prontamente choravam e de manhã estava eu com os três na minha cama. Sempre soube que estava errada, que deveria ir no quarto deles, sentar próximo ao berço e mandar que eles deitassem de novo e esperar dormir. Mas confesso que o sono e a preguiça prevaleceram e em nome do sono eu carregava comigo e dormia.

Depois fiquei sem minhas babás, papai chegando tarde em casa, eu tava tão cansada que já nem levava eles para o berço. E como na verdade ninguém consegue dormir bem numa cama por maior que seja, com 2 adultos e 3 crianças, daí eu pegava um ou dois, levava comigo pro quarto de hóspedes e deixava um com o pai. Em termos de sono, eles dormem muito. 12h de sono e essa "maluquice" que eu fiz de entregar os pontos fez com que eu o pai garantíssemos a noite de sono. Mas nunca mais dormimos juntos e nem eu pude desfrutar da minha caminha recém adquirida. Eu sabia que precisaria começar a adaptação de retorno ao quarto o mais rápido possível e fui tomando providências para preparar o quarto e tomando coragem para iniciar essa batalha.

Aproveitei que eles cresceram, estavam mais que adaptados a dormir em cama e transformei os berços em caminhas pra ser uma novidade e quem sabe ajudar a atrair o interesse deles. Arrumei o quarto que tá lindinho e levei eles para o test drive. Eles acharam o máximo, mas na hora de deitar mesmo: ninguém quis. Nesse primeiro dia, fiquei com eles meia horinha assistindo dvd e no final fomos pro meu quarto dormir. Vamos aos poucos. Deixa eles curtirem o quartinho e associar ele a coisas boas.

No segundo dia, coloquei cada um em sua cama, liguei o dvd emcima da cômoda, fiz uma cama pra mim no chão no meio das três caminhas e dormi ali. Foi até bom, as meninas acordaram uma vez cada uma, estranharam, ameaçaram levantar mas ao me ver no chão, deitaram de novo e dormiram rapidinho. O Rodrigo dormiu a noite toda, só percebeu que estava ali 6 da manhã e fez um escândalo porque não estava no aconchego do pai dele (ele era o que sempre ficava com Roberto).

No terceiro dia eles não reclamaram de ter deitado em suas camas e naquele quarto, ao invés do meu. Dessa vez inclusive eu nem montei minha cama no chão, pois fiquei sentadinha no laptop estudando pra faculdade enquanto eles assistiam dvd e adormeceram facilmente. Mas na hora de dormir, eu montei minha caminha no mesmo lugar e dormi de novo ali para evitar que eles saíssem do quarto e fossem pro meu.

Acho que quanto maior eles ficam, pior fica de desfazer hábitos pois eles tem melhor entendimento das coisas, experimentaram o que é bom e não aceitarão facilmente substituiçoes, enfim, já têm vontades. Então eu achei que a recusa seria maior e tô até satisfeita com o resultado até então. Vou ficar nesse acampamento no chão mais até o fim da semana pra dar segurança a eles e pra que eles sintam-se à vontade naquele lugar (eles ainda não adotaram o quarto como deles, mas eu faço questão de mostrar SUA caminha, linda, legal, cheirosa e blá blá blá). Depois começo a sair e passo a função pra babá eletrônica. Vamos ver no que vai dar.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Continuamos tentando

Voltando ao tema alimentação, principalmente no quesito comida = almoço e janta, eu informei aqui anteriormente que estava adotando os ensinamentos do pediatra, de não fazer vontades. Servir o almoço e retirar se não aceito e não fazer substituições. Comemorei aqui no blog o sucesso da fórmula, mas minha alegria durou pouco. Luisa continuou comendo MUITO bem. Aliás, esta nunca foi um problema. Ela come, repete e depois pede mais. Mas eu limito a 2 pratos. (Eita mãe megera) Justifico que não é só pela quantidade de comida, que é mais do que suficiente, mas também pra fazer entender que não devemos comer com os olhos ou enquanto tiver comida. Eu e o pai somos cheinhos e temos uma facilidade de ganhar peso e eu, por exemplo, assumo ser daquelas que come de olho, de prazer, se não vir, não preciso, mas enquanto tiver ali a vontade predomina.


Isso acaba sendo outro tópico a ser estudado. Abordar dessa vez a obesidade, doces, etc. Vou pensar nisso e colocar aqui de uma próxima vez. Mas enfim, minha pequena, voltou a fazer greve, mas não me descabelei, continuei aplicando o ALMOÇO ou NADA porém com criatividade... Ao invés de eu dar a comida, fiz o prato individual e passei pra eles a missão de comer tudo em e entregar o prato vazio. E assim recebi. Contei para o pai, toda prosa e ele bastante racional (engenheiro): isso enquanto é novidade, logo loga passa e eles diminuem a disposição... Será?

A prática de comer sozinho é importante, mas nós mães muitas vezes não fazemos pois é muito mais rápido a gente mesmo dar a comida e pronto, também pra evitar bagunça e sujeira (inevitável quando comem sós), principalmente as mães que são o faz-tudo dentro de casa e não tem empregada para a faxina, e realmente desanima ver o chão que você acabou de limpar, cheio de grão de arroz e gordura pra limpar. Enfim, mas realmente é estimulante pra criança, faz o que eles tenham vontade de comer, aqui em casa eles comem direitinho mesmo. A sujeira é quase nula, principalmente se for feito como fiz: sentado na mesa, porque se deixá-los perambulando por aí, acabam derrubando prato, colocando a colher suja no sofá branco ou desastres semelhantes. A hora da alimentação requer um ritual que precisa ser respeitado. kkk

Bom, outra aliada foi a mesinha dada pela dinda Ana, que nunca foi tão valiosa. Tenho aqui 3 cadeirinhas separadas, mas eles mais brincam do que sentam. E andam pela casa carregando a cadeirinha junto à bunda, quando colocados em frente a mesa, a brincadeira é se afastar da mesa e se aproximar de novo, enfim, não impõe a disciplina. Quase esqueci: e a brincadeira de correr empurrando a cadeira, arrastando propositadamente no chão e fazendo um barulho danado? ELES AMAM. E então a cadeira por si só perde totalmente sua função de assento e vira um brinquedoo. afff A mesa que a dinda deu tem seus banquinhos presos à mesa e a criança fica sentada à uma distância ideal e impedida de arrastar o banco, uma vez que este esta preso, enfim, eles apenas sentam. Comecei essa "brincadeira de comer TUUUUDO" na quinta passada e até hoje (segunda) tem dado certo. Até mesmo no domingo, que sempre almoçamos na casa da avó, eu desmontei a mesa e levei junto. Ela é de encaixar, facinho facinho de transportar. (Não estou recebendo nada pela propaganda, kkk, apenas dando a César o que é de César, e deixando a dica aqui para outras mamães, pois realmente tenho feito bastante uso da mesinha de forma proveitosa).

E então é isso: continuamos tentando e inventando... Pra ilustrar o post, deixo as fotos dos últimos almoços bem sucedidos. ;-)













quinta-feira, 27 de outubro de 2011

1° Apresentação de Ballet








Ontem foi a primeira apresentação de Ballet da turma de Maternal I que a Luisa e Natália participaram. Em menos de três meses de escola, com apenas uma aula por semana e com uma falta aqui e ali, ficamos imaginando o que elas poderiam em tão pouco tempo nos apresentar. Estava curiosa e ansiosa ao mesmo tempo. Até o papai deu um jeitinho de estar presente pra conferir. Na minha opinião? Foi ainda melhor do que eu pensava. Muito lindinho.


O pai mesmo não cansava de repetir: queria saber o que é que elas já tem pra nos mostrar. kkk Eu imaginava que existia algo sim, mas estava receosa de estar presente na apresentação e inibir a amostra. No meu ver, elas não têm ainda maturidade de entender que se trata de uma exibição e ficar totalmente concentradas, então eu tinha certeza que quando percebessem minha presença, iam parar tudo e vir pra mim ou simplesmente parar tudo e fazer greve. Mas, fazer o que, temos que arriscar e pagar pra ver.


Natália fez exatamente como esperado: Se posicionou dentro da caixa pra começar a apresentação e assim que levantou e me viu: empacou. Passou o resto da apresentação em pé, dentro da caixa, sem se mexer. kkk A Luisa ficou surpresa com minha presença e no início ficou meio sem saber o que fazer, mas o profissionalismo antes de tudo ela deu sequência, mesmo que tímida, à sua performance! Eu fiquei emocionada de vê-la dando alguns passinhos no contexto de uma música e iguaizinhos às coleguinhas. Estou muito satisfeita, pois agora sei ainda mais do que são capazes e que já tenho em casa duas lindas bailarinas. Ainda que não dançassem nada, valeu a belezura da arrumação: teve tutú (saia especial), batom, sombra, coque com gel e tudo. MARAVILHOSAS!!! (Eita que eu babo mesmo!).


No que diz respeito à apresentação, foi mais ou menos isso que relatei, mas aproveito o fato de estar falando de um evento da escola, farei mais uma consideração sobre a escola que julgo justa e importante: A mudança que eles proporcionaram nas minhas crianças! Minha gente, eles são outros! Sei que somado à ajuda da escola, está o prórprio amadurecimento, afinal eles estão crescendo, mas brinquei com o pai essa semana ainda, que o dinheiro dele está sendo bem investido e já estamos tendo retorno.


Não dá pra explicar em palavras, mas eles estão muito mais independentes, sociáveis, centrados em atividades pontuais, passamos a ter mais liberdade nos cuidados com eles. Eles já aceitam melhor a ajuda de outras pessoas, já podemos ir à lugares que ofereçam cuidadoras para tomar conta deles enquanto fazemos outra coisa, enfim, eles melhoraram essa aceitação e pra mim foi super importante.


Outra coisa que desenvolveu de forma impressionante foi a comunicação. Eles já falavam bastante, palavras soltas, agora de fato elaboram frases totalmente compreensíveis. O vocabulário aumenta dia após dia. As habilidades motoras se aprimoram, a curiosidade aumenta. Eles não mais riscam papel, mas já ensaiam desenhos. A Natália principalmente, ela desenha duas bolas, uma emcima da outra e diz que é um piu piu. Ela pega um lápis e contorna direitinho objetos, o próprio pé e fica perfeito. Os três fazem, mas a Natália já se faz entender melhor nesse sentido. Ela faz com perfeição.


Isso ampliou meu leque de atividades a fazer em casa quando estou só com eles: comprei pincel, guache, cola, cartolinha, giz de cera, lapis grafite mesmo, enfim, mil e uma coisas e trabalhamos colagem, desenho livre, pintura de tinta e bla bla bla. Muito gostoso e proveitoso. Eles se interessam e se entretem por bastante tempo. Ler livro então? Eles AMAM! Sentam bem quietinhos e ficam atentos às figuras, apontando e falando pelos cotovelos. Estou adorando, muito satisfeita e super recomendo!

domingo, 16 de outubro de 2011

EXCESSO DE VONTADE



Quinta-feira última (13.10) levei o trio ao pediatra para consulta de rotina. Antes de começar a avaliação dele, exame clínico, pesos e medidas, ele me pergunta o que tenho a dizer sobre a criança (pois apesar de irmos em mutirão, falamos de um apenas por vez pra não confundir. rsrs). Minha única queixa do momento foi o fato de Natália não querer almoçar de jeito nenhum e eu já estar exausta de implorar, correr atrás, tentar negociar, bla bla bla.


Ele ouviu pacientemente mas assim que terminei ele respondeu: tá errado, você não tem que correr atrás, implorar, se desgastar com esse assunto: Orientou que eu oferecesse a comida e dar enquanto ela aceitar. Se ela não quiser, retiro e pronto. SEM SUBSTITUIÇÕES. Na próxima refeição ela mata a fome e na segunda ou terceira vez, ela entenderia que só tinha aquela opção. (Eu não disse nada, mas na hora mesmo lembrei que tivemos essa mesma instrução do nosso veterinário quando nosso primeiro cachorro passou uns tempos escolhendo ração... essa comparação me fez achar estranho e engraçado ao mesmo tempo).


Ele continuou investigando e perguntou o que eu dava na mamadeira pela manhã e eu informei que dava leite Ninho 1+ com alguma farinha e quando ela acordava mais tarde eu colocava o leite com um achocolatado. E perguntou também se ela apresentava desinteresse nas outras refeições e eu disse que não, que lanche ela comia até demais. Então ele continuou: Tá tudo errado, tira tudo. Nem farinha nem chocolate. Você, a partir de agora oferecerá leite puro e menos concentrado. Se o normal é fazer 200 ml com 2 colheres de sopa, você vai diluir 2 colheres de sobremesa rasas em 200 ml de leite... e o desjejum será esse. Na hora do almoço ela estará com fome. E pra completar suas instruções, ele justificou: Eu não vou receitar nenhum estimulante de apetite pra essa mocinha pois o problema aqui não é FALTA DE APETITE, É EXCESSO DE VONTADE.


Minha filhinha querida, perdoe por sua mãe está rindo de sua cara nesse momento, mas ADOREI a explicação do médico. Ele disse de forma simples o que eu pensava mas não sabia dizer. CONCORDO em gênero, número e grau. Só não pensava na estratégia de fazer do leite um refresco e diminuir a quantidade, faltou em mim a idéia do requinte de crueldade, mas no dia seguinte já coloquei em prática e funcionou. Sexta ela comeu MUITO BEM, sábado e domingo melhorzinho, menos que na sexta, mas pelo menos está aceitando.

O motivo dessa publicação foi trazer notícias do trio para os que nos curtem e trazer à tona esse tema da alimentação, pois sei que ESSA fase específica de 2 anos, eles passam a ter vontades, a desenvolver preferências, a expor o que quer e não quer e o paladar é um dos primeiros a se manifestar e nos endoidar! rsrsrs Não é de hoje que vejo mães desesperadas porque seus filhos não comem. E apelam pra tudo pra "inchar" seus pequenos. Eu nunca fui dessas. Nunca me preocupei com isso pois sei que eles comiam bem e acabavam compensando uma refeição na outra. Afinal, tem dias e dias e humor e humor, disposição pra tudo acontece igual, nem sempre temos disposição pra comer. Minha preocupação não era com subnutrição pois não é nem preciso de balança pra dizer que meus filhos não estão abaixo do peso. Mas ultimamente ela não comia nem 1 colher sequer e eu estava cansando de implorar. Minha queixa maior era do desgaste.


Bom, estou executando, até então está funcionando, se alguém por aí se identificar em situação parecida, consulte o pediatra que acompanha o seu filho e vê se o caso é o mesmo e de repente, arrisca a experiência. ;-)

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Feliz dia das Crianças [2011]

Aposto em mais um clássico para homenagear as crianças nesse dia especial.

Essa música que vocês lerão a seguir lembra minha infância e pra mim vai muito além de uma simples melodia. É uma mensagem, um desejo, é linda, antiga porém bastante atual.



DEPENDE DE NÓS

Depende de nós
Quem já foi ou ainda é criança
Que acredita ou tem esperança
Quem faz tudo pra um mundo melhor

Depende de nós
Que o circo esteja armado
Que o palhaço esteja engraçado
Que o riso esteja no ar
Sem que a gente precise sonhar

Que os ventos cantem nos galhos
Que as folhas bebam orvalhos
Que o sol descortine mais as manhãs

Depende de nós
Se esse mundo ainda tem jeito
Apesar do que o homem tem feito
Se a vida sobreviverá

Que os ventos cantem nos galhos
Que as folhas bebam orvalhos
Que o sol descortine mais as manhãs

Depende de nós
Se esse mundo ainda tem jeito
Apesar do que o homem tem feito
Se a vida sobreviverá

Depende de nós
Quem já foi ou ainda é criança
Que acredita ou tem esperança
Quem faz tudo pra um mundo melhor



A criança simboliza vida, criança representa o amanhã, criança nos traz esperança.

Eu tive uma excelente infância, cercada de primos, brincadeiras, cicatrizes que marcarão o quanto fui feliz, brinquei na rua, particpei de gincana, cantei no shopping, paguei muito mico, fiz muitos amigos, uns que preservo até hoje; comi muito doce, brinquei de boneca, fiz planos e nunca deixei de sonhar. Hoje, adulta, digo que realizei quase tudo que desejei, pelo menos do que me lembro, não me restou nenhuma frustração.

Espero que meus filhos cresçam igualmente cercados de muito amor, com rodas de muitos amigos e que possam colecionar apenas lembranças boas. E principalmente: nunca deixem de sonhar.

Para todas as crianças: FELIZ dia DAS CRIANÇAS. Aos adultos que são eternas crianças: PARABÉNS também. Preservem esse espírito e colham ainda mais FELICIDADES.

QUE o espírito da criança faça com que este dia seja alegre, farto, doce, feliz e puro para todos. Beijos para todos e até mais.

sábado, 1 de outubro de 2011

Eis que o "Verão" chegou.

Há muito espero por bons tempos por aqui. Não que tenha sido horroroso, mas o inverno esse ano foi bastante frio e prolongado. Cheguei aqui em abril, o sol esteve presente nos primeiros dias, quando eu estava envolvida com a mudança e nem aproveitei. Em seguida chegou o Inverno e não queria ir embora. Até mesmo a chegada da Primavera foi sob um dia nublado. E até HOJE eu espero São Pedro reconhecer que a estação mudou e trazer pra gente o colorido do Sol e podermos enfim fazer festas com as crianças que só combinam com dias ensolarados.


Na verdade eu nunca fui de me preocupar com o tempo, na verdade sou baiana e lá independente da estação o tempo é basicamente o mesmo o ano todo. A diferença é que no inverno chove muito. Outro fator que fez perceber a mudança foram as crianças que estranharam o tempo, tiveram crises alérgicas e foi uma catarrada atrás da outra e por tempo indeterminado. Isso me fez desejar e contar os dias para essa estação acabar. Antes pouco me importava em que estação estávamos e se amanhã ia mudar. Além disso tudo, eu sempre soube o mês das estações e até mesmo o dia, mas não havia bilhete na minha agenda informando a chegada de cada estação e nem expetativa pra recebê-la. Mas a partir do momento em que nos tornamos mãe, toda a nossa perspectiva da vida muda e para este ano recebi sim um comunicado da escola na agenda que neste dia as crianças sairiam caracterizadas... aiaiai Mal posso esperar.


Sendo assim, Bem vinda Primavera:




Lógico que receber uma estação assim é especial, mas eu ainda não estava satisfeita, afinal o tempo continuava cinza, pra contriar ainda mais esfriou e as crianças resfriadas... Quarta-feira dia 28.09 fez Sol de manhã e de tarde esfriou, Quinta-feira fez um Sol tímido que durou o dia todo e Sexta-feira um Mega Sol com direito a outro Mega Calor! Uhu, limpa a piscina que fim de semana promete! Minha frustração era que sábado até 12h eu estaria na faculdade fazendo prova... Mas cheguei em casa, estavam os três nus por causa do calor e eu não resisti e passei 10 min na piscina com eles, besuntados de Sundown 60, em seguida banho de Mangueira, almoço e cama! Aaaaaii que maravilha!!!




Já que enveredamos para a piscina, aproveito pra informar, que com a volta do Sol, a escola retomará as aulas de Natação e eu prontamente inscrevi os três! Imagino como não será a farra hein? Pra ilustrar, compartilho uma foto feita com o celular, mas que dá pra ver bem o maiô que comprei para as meninas irem pra aula: Totalmente cheguei, colorido e alegre: minha cara! A dina quando vir vai enlouquecer. Minhas mini peruinhas! rsrsrs




Além de refrescante, útil aprender a nadar e ser divertido, ainda faz bem para o sistema respiratório. Agora é só esperar terça-feira chegar. Depois da aula relato aqui o episódio. Sei que nem todos que nos lê compartilha do mesmo fuso horário que nós e o mesmo acontece com as estações... Muitos de repente estão passando exatamente pelo inverso. Para esses, desejo boas noites debaixo do cobertor, sugiro que aproveitem o romantismo do frio pr namorar e comer todas aquelas coisas gostosas que combinam com o frio: café, chá, chocolate quente, fondue, etc. E para os que estão iguais a mim, comemorando a chegada do calor, aproveitem bastante a piscina nem que seja aquela inflável, praia, banho de mangueira, chupar picolé, uma boa limonada gelada e não se esqueçam do protetor solar! Beijos e Bom fim de semana!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Descobrindo a Fazenda

Aqui em casa, além dos três rebentos, temos dois cachorros. Um mestiço de quase 5 anos, o Willy e um Buldog Inglês de 3 anos, o Baruk. Desde bebês, os levava para ver os cachorros e latidos não tiram seus sonos. Rodrigo sempre se amarrou mesmo neles. Ainda quando bebê, a primeira gargalhada de verdade mesmo do Rodrigo foi pro Baruk. E uma das primeiras palavras que eles falaram incluíam auau.


O "xis" da questão não é apenas contar aqui que além de trigêmeos, temos dois filhos caninos. Não. O que eu achei interessante diz respeito às novas descobertas, interesses e aprendizado. Desde que aprenderam a falar auau, eles passaram a chamar TODO e qualquer bicho na rua de auau e eu permiti. Acreditei que eles eram muito novos e no comecinho das descobertas. Eu não ia repreendê-los por chamar um hipopótamo de auau. Imagina eles todos empolgados apontando o auau e a gente dizendo, não filho, é um onitorrinco! Não acredito na linha dura do aprendizado e hoje sei que fiz o certo. Naquele momento entendi que auau pra eles representava bicho, animal.


Fato é que animais em geral sempre chamaram a atenção deles. Quando dominada a questão auau, passei a ampliar o conhecimento deles. Rodrigo se apaixonou pelos pássaros, queria alcançá-los e ficava frustrado quando eles voavam. Nesse momento, aproveitei o gancho e ensinei a ele que aquilo era um piu piu e o piu piu voava. Agora existiam duas espécies de animal: os que voavam, piu piu e todos os outros: auau.


Em seguida tive uma oportunidade de acrescentar o boi nessa turma. Eles todos satisfeitos apontando para a vaca de plástico e chamando de boi e algum adulto baixo astral corrigindo que era uma vaca! Ai que ódio!!!! Poxa minha gente, a criança trabalha com incentivo. Nós adultos é que devemos ter o bom senso. Agora veja se nessa altura do campeonato eu vou dizer para o meu pequeno aprendiz, que aquele bicho igualzinho ao boi não é boi porque é fêmea e ele pode perceber isso procurando suas tetas! Fala sério. Acho isso até frustante. Então eu reprimia todos que bancavam os sabichões: É BOI SIM FILHO! Parabéns!!!


Essa foi minha contibuição para dar o pontapé inicial. Com a escola esse aprendizado se deu dia após dia. Cada dia uma novidade. Toda semana eles trazem livro pra casa e quase todos falam de animais e isso só favorecendo. Coisa é que eu fui sendo surpreendida com as novas aquisições. Macaco, galinha (que até pouco tempo era piu piu), porco, vaca (para os manezões apressados), cavalo e outros que nem me lembro agora.


No aniversário de 1 ano deles ganhei um dvd bastante interessante. Naquele momento eles assistiram 5 minutos pelo colorido mas logo dispersaram. Com esse interesse no mundo animal, resolvi recorrer ao dvd e ver se agora interessava: NOSSA! Surpreendente. A sala ficou muda por um momento, os três vidrados e depois Rodrigo gritava: MÁE! ÓIA! O PÔTO! (O porco) Nesse momento eu fui surpreendida pois eu nem sabia que eles já reconheciam porco!hum que orgulho!


Para quem quiser, vai a dica o dvd é Descobrindo a Fazenda. É bom pois é uma forma de assistir algo que passe instrução e não apenas desenho, é colorido, chama a atenção e é educativo mesmo. Por aqui fez sucesso.





Explorando o tema e buscando incentivar o interesse a descobertas, estou planejando passeios para Zoológico e mais. Para quem é do Rio deixo também a dica de dois lugares que foram muito bem recomendados por amigos (eu ainda não fui, farei em breve e em seguida conto aqui a experiência Mas deixarei as informações caso vocês queiram investigar e incluir nos planos).


Fazendinha Estação Natureza
www.estacaonatureza.com.br

O site é bastante interessante, com todas as informações e parece que tem em São Paulo também.


Bichinho do Mato


Como eu acho que quando a gente descobre uma coisa boa a gente tem de passar adiante, vim correndo escrever esse post, além de acreditar que as mamães que nos acompanham achariam interessante o tema. ;-) Beijos Beijos e até loguinho!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Miscelânea


As vezes me envolvo com tantas outras coisas e acumulo notícias. Acho que toda mãe passa por momentos cheios, as de múltiplos então, devem passar mais ainda. Enfim, fico tão triste de negligenciar certos momentos simplesmnente porque eu não tive tempo e algumas vezes faço postagens do tipo TUDO JUNTO E MISTURADO.



Recapitulando os últimos momentos: Parei no momento em que a casa estava cheia de alegria por conta do aniversário emendado com feriadão de 7 de setembro. Então, a festa foi no sábado à noite e eu considero como SUcesso. Tudo lindo, gostoso, farto, quase todos convidados presentes. ISSO pra mim é Sucesso.




Quanto ao comportamento, Rodrigo curtiu a festa do início ao fim. Natália e Luisa deram um pouquinho de trabalho, pos resolveram estranhar bem no dia e na hora da festa. Só queriam colo, colo nosso, pra tirar foto era uma resenha e muitas fotos provavelmente a Nat, se não tiver chorando, tá de nariz vermelho. Mas ficará registrado até mesmo esse comportamento e como muitas mães me disseram: Faz Parte...





O melhor de tudo mesmo foi chegar na hora e para a festa e ao final sair carregando apenas os presentes! Ai meu Deus, tão diferente do ano passado que caí na asneira de fazer em casa... Em termos de valores foi muito próximo e vale super a pena.

Já na segunda seguinte, o pai viajou à trabalho, com planos de retornar na quarta-feira. Fiquei só com a companhia do trio e a ajuda da tia Di, mas ele não finalizou o trabalho e teria de extender por tempo indeterminado (incluindo o finde, que nunca acontece) então perguntou se eu queria me aventurar a ir com ele (levando as crianças) e enquanto ele trabalhava eu poderia ficar no hotel, passear no xopis, conhecer Maca City (Macaé). Eu nem pensei e topei na hora. É muito ruim ficar longe dele, pior longe dele com as crianças perguntando por ele o tempo todo e ainda extender isso por quase duas semanas... Nananinanão




Claro que eu fui direto investigar a previsão do tempo para os próximos dias e eu juro que vi fim de semana ensolarado e a semana seguinte iniciaria e ficaria cada dia mais quente. Separei biquinis das meninas, sunga e todo o aparato pronta pra diversão.





O Roberto voltou quinta de noite e nosso plano era sair na sexta meio dia pra não pegar estrada de noite.. Meu Deus, três dias apenas com esse trio requer preparação. Como decidimos de última hora, fiz tudo na sexta: É roupa, fralda, farmacinha, leite, farinhas, lanches diversos, brinquedos, dvd portátil com seus carregadores! dvds diversos pra não enjoar, ELES mesmos que temos que arrumar, alimentar, enfim, saímos de casa 15h, fomos encontrar tia Di, pegamos engarrafamento e chegamos lá quase 21h com a bunda do formato do banco, e por incrível que pareça, o trio chegou aceso e disposto.





Para atrapalhar nossos planos, o Sol se escondeu e estava uma ventania horrorosa. Nada de piscina, nem passeio pela orla de Maca City... ainda bem que levei brinquedos. Ainda assim foi muito bom. Sair da rotina é bom: tudo novidade. Tomar café no hotel, correr pelo lobby, de tarde shopping (pra fazer exibição da figura e não perder o costume. rsrs) e de noite, jantar com papai na rua. E assim foram os dias.




Voltaríamos na segunda, mas ficamos até terça pois papai teve que trabalhar... Na terça fez Sol e diminuiu o vento, fizemos um passeio pelas ruas calmas de Macaé, passeamos na orla, tirei algumas fotos e à tarde voltamos. A volta muito melhor. Saímos 15h, pegamos apenas um pouco de engarrafamento já no Rio de Janeiro mesmo.




Pra quem lembra das postagens anteriores, nossa primeira viagem com eles foi pra Gramado, que não me arrependo. É trabalhoso o planejamento, mas totalmente viável. Essa passagem por Macaé só confirmou isso. Eles já comem bem e de tudo um pouco, possuem uma rotina estabelecida, tiram um cochilinho de tarde e curtem bem a noite, enfim, cada vez mais fácil encaixá-los em nossos programas e nos divertir todos juntos. Precisamos apenas estudar o destino para garantir uma boa escolha. EU RECOMENDO.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Casa Cheia. ADOOOOOROOOO!

Esse post foi escrito na quinta-feira, dia 8/9 e desde então tento publicar, mas não estava conseguindo...


Terça à noite chegaram nossos primeiros hóspedes, dinda Ana e Tio Dedé, chegaram aqui por volta da meia noite e nem conseguiram ver o trio acordado ainda. 8 da manhã da Quarta-feira chegaram Vô Adelson,Tio Alcino, Tia Sônia, Primas Elaine e Camila e Pepeu. O trio acordou e ficaram primeiramente assustados com toda aquela gente na sua casa ao acordar. Não ficaram imediatamente à vontade, mas em pouco tempo a intimidade já fora estabelecida. Todos trouxeram consigo em suas malas algo pra eles e isso só facilitou a aproximação. (Quem chamou meus filhos de interesseiros? aiaiaiaiai rsrs).

Dinda Ana deu seu MEGA presente que foi um escorrega bem grande e já sabe qual foi o programa do dia né? Coitados dos adultos que têm que ficar olhando pois como é grande, eles vão sozinhos, mas descem em super velocidade e sem cuidado, voam longe. kkk

Pensam que acabou? 2oh chegou mais uma remessa: Bivô Adelson, Maura, Avelina e prima Fabi. Aí eles já nem estranharam mais a multidão na casa. Tinha gente pela casa toda, zoada, bagunça, eita coisa boa! Eu sei que as crianças se perdiam de vista e eu nem me preocupava pois estavam brincando com alguém responsável.

23h foi a vez da Tia Nanda chegar, mas também só pôde ver o trio no dia seguinte... Minha casa é grande e com muitos cômodos, mas com esse povo todo imaginam como está né? Distribuí uns em quartos e camas e alguns estão em esquema de acampamento, pelo menos tem sistema de água encanada, quente e comida farta. (Eu acho)

Pensei que as crianças iam estranhar o movimento, mas na verdade estão AMANDO. Estão achando o máximo a bagunça e ter sempre gente para atender as necessidades deles. Hoje mesmo foram ao parquinho do condomínio com dinda Ana e tia Nanda. Eu fiquei em casa, não consegui estudar nem descansar, mas consegui colocar a casa um pouco em ordem enquanto os demais hóspedes haviam saído pra passear.

Até o banho tia Nanda deu. Estou agora esperando eles tirarem a soneca pré-escola e depois os levarei para não perder a rotina. Amanhã ainda chegam Tia Sol e prima Jú que também ficarão aqui em casa. E dindo Beto que ficará em Hotel por opção. Estou adorando, gente, alegria, matando saudade, fugindo da rotina, é diferente... Pena que um dia acaba, mas vamos curtir enquanto podemos. Beijos

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Segundo ano do Trio





Há exatos dois anos, chegava ao mundo os meus maiores presentes, sonho de um casal, alegria dos avós e motivo da existência desse blog.

Meus três filhos, desejados, queridos e saudáveis. Depois disso, um pouco de trabalho, alguns gastos a mais porém um TURBILHÃO de alegrias.

PARABÉNS meus amores por mais um ano de vida e Obrigada por me proporcionarem uma FELICIDADE sem fim. ETERNAMENTE Grata. AMO VOCÊS.

ESSE ano especialmente teremos uma semana de comemorações para esse segundo ano de vida pois o dia mesmo é hoje (segunda-feira) e a festa será sábado que vem. Quarta-feira é feriado e a semana toda estaremos recebendo hóspedes que estão vindo pra festa. Então já sabe: festa o tempo todo. Praticamente um carnaval. kkk

Teremos um bolinho hoje pra registrar no dia mesmo o aniversário do Trio. Virão apenas os avós paternos que estão aqui + tia Di. Vou enfeitar com umas bolinhas e depois deixo aqui a fotinha pra vocÊs. E como a semana será longa, vou contando dia após dia para vocÊs...

Beijos.

sábado, 27 de agosto de 2011

Enfim, nota DEZ!

Quem nos lê sempre, acompanhou como foram os primeiros dias, na verdade, as duas primeiras semanas do trio na creche. Venho agora finalizar esse tópico, pois finalmente posso dizer que o trio está completamente adaptado e o melhor: curtindo a escolinha.


As coisas já estavam funcionando muito bem na escolinha. Eu os deixava e ia buscar no fim do dia, mas sempre um ficava chorando. Rodrigo foi o primeiro a se adaptar realmente. Mesmo quando as irmãs choravam, ele permanecia indiferente. Devia estar pensando: " Eu é que não conheço aquela barraqueira ali. kkk". Depois foi a Luisa que ficou numa boa em troca de promessas: Um dia eu dizia que ia sair pra comprar pipoca, no outro chocolate e até pão eu já saí pra comprar. kkk E ela, como sempre muito esperta e adiante da sua idade, ficava quieta, esperando a recompensa. A Natália ficava chorando, mas a profesora disse que depois que eu saía ela chorava pouco e então desistia e não chorava mais hora nenhuma.


Essa semana, eles começaram a tratá-los como os outros alunos e não mais como em adaptação... Na verdade começou na sexta-feira passada, dia 19 de agosto. Fui buscá-los, cheguei um poquinho antes e a coordenadora perguntou se eu poderia esperar dar o horário regular para eles saírem junto com os outros e entenderem a rotina. Eu aceitei, claro. Na hora, fui pra porta entrar pra buscá-los como sempre fiz, mas a tia pediu que eu não entrasse, que eles iam sair sozinhos como os outros... hum, quantas mudanças... vejamos... Uma fila de pais do lado de fora, então 17:30 a porta se abre e aparece outra fila lá dentro caminhando em direção à porta. kkk Vieram sorrindo e eu achei ótimo.


Segunda-feira 22, deixei os três e fui recepcionada na porta ao invés de entrar como no começo. As tias vieram buscá-los no carro. Dei tchau e eles responderam, com exceção da Natália que teve que ficar à força. Mas passou rápido, pois eu liguei pra saber. Quando fui buscá-los, saíram junto com os outros e fantasiados de Bumba meu Boi, pois estavam comemorando a semana do Folclore e eles saíram eufóricos, achando tudo aquilo o máximo.


Terça, deixei eles na porta de novo, Natália chorou, Luisa foi acompanhada pela tia e Rodrigo foi sozinho (dono do pedaço). Quarta-feira foi ainda melhor, Rodrigo já saiu do carro e foi entrando na escola, Luisa decidida foi atrás e Natália, ameaçou chorar, mas vendo os outros, abaixou a cabeça e seguiu. Evolução! Na quinta e na Sexta, fui surpreendida, pois eles desciam do carro direto em direção à porta da escola e na sexta sequer olharam pra trás... NOTA DEZ PARA O TRIO!


Quarta-feira, o pai que estava trabalhando pertinho foi buscá-los, quinta-feira eu fui e chegando lá me deparei com os três fantasiados de soldados. LINDOS E FELIZES. Graças a Deus. Está tudo dando certo.


Portanto, aos que estavam aflitos, com peninha do trio, podem ficar tranquilos pois agora eles estão adorando e nem olham pra trás pra ver se a mãe ainda está ali... Com isso fico eu com meu coração em paz, volto pra casa correndo e vou assistir uma aula no computador, estudar, fazer exercício e correr para buscá-los de volta...


Eles ficam apenas 4 horas nesse comecinho. E como eu tenho que levar e buscar, acabo perdendo meia hora na ida e mais meia na vinda. Só me restam 3 horinhas que eu uso pra fazer compras, repor estoque de farmácia, fazer a unha, bater um bolo, arrumar o armário (apenas 1 coisa por dia pois PRECISO assistir 1 aula por dia e ainda assim tô atrasada). Enfim, estou mais atarefada, mais cansada as vezes, menos disponível. Mas feliz por estar conseguindo ao menos cumprir minhas obrigações e ser e fazer meus filhos felizes. Daqui a pouco extendo o horário da escola pra 6 horas, ganho um pouquinho mais de tempo pra mim e assim por diante. Cada coisa no seu tempo e o sucesso é consequência.


Beijos e bom fim de semana a todos.


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Babá

Como a maioria dos nossos seguidores sabem, sempre tive ajudantes pra cuidar das crianças e da casa, afinal minha mãe e pai trabalhavam o dia todo, todo dia e meus sogros moravam longe. Tinha de ser mesmo alguém contratado pra isso.


A princpipio uma que cuidava da casa e ajudava com as crianças, no mês seguinte vi a necessidade da segunda, até mesmo pra cobrir um tempo maior. Enfim, o tópico não é pra entrar em detalhes sobre o funcionamento das babás aqui, até porque já falei sobre isso antes, é só voltar atrás um pouquinho nos posts e acharão também sobre isso.


Esse post de hoje é pra falar da reação das crianças à separação de suas babás. Uma delas esteve presente desde que nasceram e a outra chegou logo no segundo mês, que pra eles é a mesma coisa de tê-la desde sempre. Fato é que eles eram MUITO apegados a elas, afinal elas cuidavam deles desde pequeninos e mimavam sempre com muito carinho. Faziam até mais vontades que eu as vezes.


Elas nunca dormiram com a gente, por um consenso comum do casal, optamos por não ter ninguém em casa à noite, mas até isso mudou nos últimos meses. Com a mudança de estado, elas vieram para o Rio com a gente para ajudarem nesse comecinho de terra nova, até eu ter um pouquinho mais de independência e aproveitaram pra conhecer a cidade maravilhosa, claro.


Apesar de mesmo morando em nossa casa por uns meses, nesse processo de adaptação, ainda assim, ao chegar o fim do dia elas saíam, iam ver novela, ou seja, agiam como se não estivessem ali e eu não queria também abusar e sempre respeitei o horário delas. A não ser que, previamente houvesse um acordo de trocarmos o dia pela noite para eu ir num jogo, jantar ou coisa assim. Quero mostrar que mesmo não tendo elas como empregada à noite, nesse período aqui no Rio, elas moraram com a gente por 4 meses e os laços entre elas e as crianças se estreitaram. Eles as viam de domingo a domingo, mesmo quando elas não trabalhavam ou íam pra rua de folga. Mas sempre que eles acordavam, bem ou mal, as viam na cozinha tomando café e sabiam onde era o quarto delas. De vez em quando iam lá de espontânea vontade visitá-las. Quando Rodrigo aprendeu a abrir portas então, nem se fala.


Eu sabia que elas um dia iam embora, afinal tinham família na Bahia as aguardando, mas combinamos de ir uma primeiro, quando a escola deles começasse e a outra iria depois, em novembro, como solicitado por ela mesma e consetido por mim. No meu ponto de vista, seria ótimo assim pois eles sentiriam menos se fosse uma de cada vez. Mas, para minha surpresa, uns 4 dias antes, a segunda me comunicou que mudara de idéia e iria embora junto com a outra.


Tirando o fato de me deixar na mão sem sequer ter arranjado alguém pra substituí-la e num momento de adaptação na escola das crianças que precisava bastante da minha participação, o que não vem ao caso tratar aqui no blog, me preocupei com a falta que as duas fariam a eles. Além de não mais aparecerem, não estaria mais na cozinha tomando café ou no seu quarto como costumava ser. Sofri de véspera e cedo demais.


Para minha surpresa, eles não só levaram numa boa, como se nada tivesse acontecido, como também aceitaram a nova empregada numa boa. (o que eu achei que também seria difícil). A impressão que dá pra mim é que eles se contentaram com a troca de uma babá pela outra, parece até gente grande. Cuidado pretendentes: pra eles rezará a lei da FILA ANDA. kkk


Talvez tenha sido por conta das diversas mudanças. Eles passaram a frequentar um ambiente novo todas as tardes, com um mundo de TIAS cuidando e paparicando eles. Uma infinidade de amiguinhos. Uma nova tia em casa (a empregada nova agora é tia). Aliás, TODO MUNDO agora é titia e titio (como usado na escola). ENGRAÇADÍSSIMO. A moça da pipoca é titia, o porteiro é titio e por aí vai.


Eu achei que tais mudanças o fariam estranhar mais, mas ajudaram. Pra ver que as coisas são imprevisíveis e não adianta a gente fazer muito plano, muito menos sofrer de véspera. Mais uma lição a ser aprendida. Assim como eu não esperava ficar sozinha de repente, não imaginava que seria tão fácil. Lógico que estou trabalhando bem mais e sobra muito pouco tempo, reduzindo minha liberdade, mas é um trabalho mais prazeiroso e o que é melhor, estou dando conta e meus filhos estão mais felizes que nunca.


Outra coisa a favor foi a chegada de um novo vizinho com duas crianças pequenas. Todo dia saio com três e ficamos eu, a babá dos meninos e os 5 misturados. Nem sempre brincam juntos, pois são de idades diferentes, mas já distrai ver mais crianças, ver brinquedos diferentes, estar na "rua". Até a babá dos meninos é uma tia nova. Eles chamam por ela e pedem coisas a ela. Eles entendem como tios pessoas que os ajudam. kkk Se der algo pra ele, ou se for conhecido é tio e tia. O porteiro, que já é conhecido é tio, o pedreiro do vizinho é "uomi" (o homi, o homem) pois é um estranho. Essas crianças me aparecem com cada uma... kkk


Pra avariar emendei um assunto no outro e falei demais. De babá passei pra titias, mas uma coisa puxou a outra e a idéia primordial foi transmitida. Há 20 dias sem as duas aqui e eles nunca choraram e não demonstraram falta. No primeiro dia perguntaram e eu falei que foi embora. Foi pra casa dela. No segundo dia pergutaram apenas e eu dei a mesma resposta. Aceitaram e não perguntaram mais...


Beijos e até.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

CadÊ?

Mesmo quem não é mãe ou pai, conhece alguém ou ao menos já ouviu falar da fase dos PORQUÊS. A criança, já maiorzinha e com um maior entendimento das coisas não aceita tão fácil as imposições e resolvem questionar. Eu sempre ouvi dizer que pais já não aguentavam mais responder tantos "Por que?".

Ou eu que estava desinformada ou estes mesmos pais não deram tanta importância a fase do "Cadê?". Será que é só aqui? Não posso acreditar, pois tá demais. Eu não aguento mais responder cadÊs. kkk

É Cadê papai, cadÊ mimão, cadê mimã, cadê titia, cadê Duda (vizinha), cadê Tatú (Artur, vizinho), Cadê auau, Cadê piu piu, Cadê tôtôto (biscoito). Seja o que for, eles querem saber cadÊ! Primeiro eles perguntam um: CadÊ papai? Se você não responde, continuam perguntando sobre papai o resto da vida. Aí eu falo:"tá trabalhando, só volta de noite", pensam que acabou? Aí eles inventam outro pra procurar. E o ciclo continua eternamente. Se você não responde, perguntam insistentemente. Se responder, passam pra outra. Igual o ditado: Se ficar o bicho pega, se correr o bicho come.

Filhos, mamãe AAAMMMAAA vocÊs, mas vocÊs as vezes abusam do CadÊ!!! kkk

O melhor de tudo é a conclusão deles. Se eu não tiver resposta para algum dos cadê que eles perguntam, aí eles falam: "AdÊ papai? mimiu?" No início eu achava que significava dormiu e acabava consentindo, mas hoje sei que eles dizem “mimiu” querendo dizer SUMIU! Como são espertos, se eles não estão vendo e ninguém sabe responder onde está, logo: SUMIU! KKK

Crianças crianças, vocês nos surpreendem dia após dia. Obrigada por tanta felicidade!

domingo, 14 de agosto de 2011

FELIZ DIA DOS PAIS

Meu Pai


Roberto e as crianças hoje




Não só por questão de justiça, pois reconheço a importância e a felicidade de ser mãe, nossa missão não seria completa sem a ajuda dos papais. Eu me sinto na obrigação de homenagear todos os pais e futuros papais especialmente no dia de hoje, pois tive a sorte de nesta vida ter sido presenteada com um Pai MARAVILHOSO e com um marido que se tornou um pai EXEMPLAR.

Espero poder educar bem meu filho para que ele dê continuidade e seja, no seu momento, um pai por inteiro. Reconheço que meu pai me deu tudo que foi possível e hoje me cerca de amor, carinho e atenção. Tudo que poderia precisar. E o pai dos meus filhos, meu marido Roberto, é hoje um pai participativo, carinhoso, atencioso, presente e divide igualmente comigo a missão de amar, cuidar e orientar nossos três filhos e faz com isso, que sua existência seja fundamental em nossas vidas.

O pouco que pude conviver com meu sogro me faz admirá-lo também como exemplo de pai, presente, educador e tranquilo, responsável e muito pelo modelo de pai que o seu filho se tornou, hoje nos oferece suporte como um avô coruja, que só confirma a minha afirmação de se uma sortuda e estar bem servida no quesito Pai e reafirma a importância da participação dos pais na criação de seus filhos.

Vale mencionar meu Avô Adelson, que foi pai de 7, avô de 17 e bisavô de 4 presente sempre com sua serenidade e meu Tio Alcino que, juntamente com minha Tia Sônia, me trataram com tanto carinho, que sempre me senti mais que uma sobrinha e como prima próxima de seus filhos, posso afirmar que é também um super pai que merece ser citado em minha homenagem.

Estou falando daqueles que me cercam diretamente, mas sei que MUITOS outros pais são igualmente merecedores de inúmeros elogios, portanto a mensagem é geral e visa homenagear todos os pais e futuros pais, que estes reconheçam sua importância e curtam muito não só este dia especial, mas a bênção da paternidade que lhes foi concedida.

Posso parecer brega ou pouco criativa, mas não encontrei palavras para passar para TODOS os pais que pudesse descrever o que eu queria realmente dizer, então repito apenas a letra de uma música de Fábio Jr. que me emociona toda vez que a escuto.

PAI

Pai, pode ser que daqui a algum tempo
Haja tempo pra gente ser mais
Muito mais que dois grandes amigos, pai e filho talvez
Pai, pode ser que daí você sinta, qualquer
coisa entre esses vinte ou trinta
Longos anos em busca de paz....
Pai, pode crer, eu tô bem eu vou indo, tô
tentando vivendo e pedindo
Com loucura pra você renascer...
Pai, eu não faço questão de ser tudo, só não
quero e não vou ficar mudo
Prá falar de amor pra você
Pai, senta aqui que o jantar tá na mesa, fala
um pouco tua voz tá tão presa
Nos ensine esse jogo da vida, onde a vida só
paga pra ver
Pai, me perdoa essa insegurança, é que eu não
sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo, nos teus
braços você fez segredo
Nos teus passos você foi mais eu
Pai, eu cresci e não houve outro jeito, quero só
recostar no teu peito
Pra pedir pra você ir lá em casa e brincar de
vovô com meu filho
No tapete da sala de estar
Pai, você foi meu herói meu bandido, hoje é
mais muito mais que um amigo
Nem você nem ninguém tá sozinho, você faz
parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz
Pai

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Novas Novas sobre a Escola



Bom minha gente, vamos ao resumo alongado (pois eu não consigo me abster dos detalhes) da atual situação. rsrs



Eu havia relatado sobre os primeiros dias da escolinha que foram bastante confusos. Eu particularmente achei que não ia conseguir TÃO cedo deixá-los lá por conta própria pois eles percebiam nossa falta de imediato e choravam horrores, mas...



Quinta-feira iniciou muito ruim: dessa vez os três choraram ao chegar na porta da escola e lá dentro não queriam me soltar de jeito nenhum. Até pra ir pro parque, que a principio havia interessado a eles, eles só iam com a minha presença (que não era o combinado, nem o desejado). Eu ia junto e tentava fugir por alguns minutos, mas logo percebiam minha falta. Até que o pai chegou e pra me desmentir, eles ficaram sozinhos com as tias como se fossem íntimos, tanto que passamos da hora de ir embora. Aiai



Na sexta-feira, já fui um pouco que apreensiva, pois eu realmente estava PRECISANDO que eles ficassem na escola. Pois nossas babás baianas estavam indo embora no sábado e eu ficaria SOZINHA com os três sem nem empregada sequer. Essa primeira semana por exemplo, eu tive que passar as 5 tardes TODA lá na escola. Quando chegava em casa já era noite e nem tínhamos mais empregada. Sábado já não tínhamos empregada e domingo então nem se fala. Resumo: segunda-feira a casa já tava uma ZONA e assim ficou pois eu fiquei por conta dos três e graças a Deus dei conta dos três. A tiazona de sempre veio ajudar. Pelo menos ela ficava com eles enquanto eu tomava banho, coisa e tal.



Segunda-feira não consegui deixá-los na escola como recomendado pela diretora. Pois durante o fim de semana se perde a rotina e eles voltam a estranhar. Além de que, pra piorar a situação, desenvolvemos um MEGA resfriado que nocauteou nós 5 por aqui. Até eu e o pai mesmo ficamos super maus com nariz entupido e garganta doendo, então tínhamos de ver por esse lado também que eles não estavam no momento mais confortável para serem testados. Mas ainda assim não deixei de ir na escola, não quis quebrar a rotina. E fui. Adivinhem só: eles deram a mão à tia e foram pro parque. Eu nem dei tchau, sai de fininho, fui num supermercado que fica perto e deixei meu celular para caso de emergência. Dali a 30 min, não resisti e liguei: estavam super bem, brincando. Dei uma esticadinha na farmácia pra repor nosso estoque que estava em baixa por conta do resfriado. Estiquei mais um pouquinho e fui na padaria, pois tinha de comprar salgados para o dia dos pais da própria escolinha que aconteceria no dia seguinte e quando voltei, ainda estavam bem. Fiquei 10 min escondida e então eles começaram a perguntar e Natália resolveu chorar, daí eu apareci, como que tivesse voltado para buscá-los. Um progresso e tanto. 2 horas quase sozinhos e eu resolvendo meus afazeres.



Hoje, quarta, foi dia dos pais, quem os acompanhou foi o pai que ficou com eles por 1h e deveria deixá-los em seguida. Mas ele disse que viu a coisa preta pois nenhum dos três queria largá-lo. As crianças o deixaram para ir para a aula de ballet, pois era novidade. Rodrigo deveria ir com a tia ficar junto com os meninos pois ele não faz ballet, mas ele seguiu as irmãs e entrou na sala, tocou o terror mexendo no som da profesora e até arriscou imitar a professora. kkk Não sei se o pai ou até mesmo ele vai gostar de saber que foi exposto esse momento da vida dele, mas foi engraçado e resolvi contar. A maldade está em nossa cabeça. É uma aula de dança. Ninguém de turma maternal sabe exatamente o que está fazendo ali, muito menos que é coisa exclusiva de meninas. Como estão em adaptãção, o importante é deixá-los fazer o que sentirem melhor e quando ele se entrosar com os coleguinhas, logo logo vai preferir brincar de carrinhos com os amigos a seguir suas irmãs... Sem citar que, ballet à parte, meu filho adora um som e é um ótimo dançarino. Será um pé de valsa.



Fui render o pai nesse momento e estava tudo bem. Não demorou muito e as meninas começaram a chorar. Choraram uns 15 minutos mas as tias reverteram sozinha, eu me mantive escondida. Apareceria apenas em caso extremo. Resolvi então cuidar da vida, e fui dar uma conferida no campus virtual de minha nova faculdade. Estou fazendo uma nova graduação EAD que começou essa semana e eu sequer havia acessado o portal por falta de tempo. Fiquei mais de uma hora em paz no computador que até estranhei. Fui conferir, afinal já estava quase na hora de ir embora. Estavam os três brincando com os colegas no parque e Natália vinha correndo e rindo e ficou surpresa ao me ver. Surpresa e feliz, mas fiquei feliz de ver que eles estavam MUITO bem. Atia falou que eles choraram aqueles 15 min seguidos, que elas reverteram e que depois nem perguntaram mais sobre nós.



Ainda me deram trabalho pois na hora de ir embora não queriam sair do brinquedo. Tive que "arrastar" mesmo o trioe Natália ficou do carro chamando "Tia Pipila" (Tia Priscila). Será que estou alcançando de novo a independÊncia pelo menos um turno? Pra fazer compras, estudar, ir no salão e até mesmo cuidar da casa? Outra boa notícia é que hoje começou uma empregada aqui. O primeiro dia foi muito bom. Agora é torcer pra dar certo. De volta ao eixos...



Deixo pra vocês a foto das lembrancinhas do papai que eles deram ao Papai pelo primeiro dia dos Pais na escolinha. Cadernetinhas com canetinhas e uma caneca de Porcelana com a foto dos três tiradas na própria escola...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Iniciando Escolinha Parte II

Agora que todos já sabem que iniciamos a escolinha, imagino que estejam curiosos para saber qual foi a reação de cada um. A gente fica imaginando montes de coisa e acaba sempre sendo surpreendidos.

Acreditamos que pelo fato de serem três, eles sentiriam menos pois teriam a companhia um do outro, etc etc. Eu mesma pensei: as meninas vão tirar de letra, Rodrigo vai fechar o tempo pois ele é muito dengoso e apegado a nós. TUDO ERRADO!

Bom, em casa tudo foi uma diversão, vestir aquelas roupas diferentes do usual e igual uma do outro. Eles amaram! Foram no carro cantando como sempre e eu explicando o que estava por vir. No momento todos pareceram prestar atenção, mas na hora H esqueceram tudo e...



A "tia" veio nos receber na porta e os três já olharam desconfiados. Os coleguinhas estavam no parquinho fazendo entrosamento e eu acompanhei os três até o parquinho e expliquei que era pra eles brincarem com a tia e os amiguinhos que a mamãe estaria sentadinha na sala esperando para que voltássemos pra casa. Dei as costas. Rodrigo imediatamente entrou no parque, escolheu um carrinho e por lá ficou, a Luisa também se entreteu por um momento, mas Natália armou um barraco!!



Chorou tanto de soluçar e as tias levaram ela ao meu encontro pra se acalmar. Ela parava, eu explicava, afirmava que estaria ali, mas ela nada. Dali a pouco Luisa abriu o berreiro e foi também levada ao meu encontro, porém Luisa, que sempre demonstrou um amadurecimento e uma compreensão um pouco além da idade dela, sentou no meu colo, escutou o que eu disse "Você vai ficar com a tia, vai brincar com os amiguinhos, depois vai lanchar e então vamos embora. Mamãe vai ficar aqui o tempo todo, tá?" e ela consentiu com um "tá". E voltou pra brincar. Rodrigo ficou bem e só lembrou que tinha mãe quando a tia parou a brincadeira e o levou pra trocar fralda. Aí ele não quis mais voltar pra sala e abriu o berreiro. Lá estava eu com dois. A Luisa, que também não é de ferro, ao se ver sozinha, perguntou pelos irmãos e começou a chorar. Com os três chorando e emcima de mim, perguntei se deveria ir embora pois já estava quase na hora, mas aí a tia consentiu que eu participasse do lanche junto com eles para que eles udessem participar desse momento também e lá fomos nós pro lanche e depois casa.



Confesso que fiquei desapontada. Não com eles, claro, mas com a situação que eu não fazia idéia que seria tão difícil. E Natália? Parecia uma missão impossível convencer ela a ficar 'naquele lugar' com 'aquelas pessoas'. Natália é muito esperta e geniosa. Quando ela não quer, ela não é facilmente enrolada. Fiquei com medo do dia seguinte.



O segundo dia, a mesma animação para vestir o uniforme, o que julguei positivo pois ele já sabiam o que significava. No carro preguei o mesmo discurso, expliquei o que viria pela frente e as respostas foram a seguinte: Luisa --- "tá", Rodrigo --- "aêe" (e levantou os dois bracinhos em comemoração) e Natália muda estava, muda ficou.



Fizemos da mesma forma que no primeiro dia e Rodrigo já foi para o parque como se não precisasse mais ser apresentado. Era "da casa". Luisa ficou e Natália nada. Deixei ela lá chorando mesmo e tive de sair. As tias tentaram de tudo, mas sem êxito, a levaram ao meu encontro. Meu Deus, Natália não vai ficar. E agora? pensei eu aflita. Pior é que Luisa em solidariedade a Natália vinha chorando nos procurar. Eu conversava, Luisa entendia, me dava tchau e saia, mas ao ver que Natália não ia, ficava no portãozinho esperando. E a tia também esperava. Aí eu falei pra tia: aproveita que a Luisa quer ir e leva, Deixa Natália aqui mais um pouco, pelo menos é um problema, não poderíamos deixá-la influenciar a Luisa, senão seriam dois problemas.



Fiquei a sós com Naty e comecei os discursos e promessas. Até que, sem pressão e sem nenhuma tia esperando por ela, a convenci de ir sozinha procurar o irmão dela e ver o que ele tava fazendo. Falei empolgada: "Vai lá e depois volta pra me contar". Ela saiu pela porta desconfiada e bem devagarzinho. Eu não fui atrás pra não forçar a barra e nem fazê-la desistir. Demorou uns 15 minutos e nada dela voltar. Eu sabia que com certeza ela estava com alguma tia, pois não tinha muito para onde ela se perder e todos já conheciam eles e a conduziria para o lugar certo, mas por via das dúvidas, chamei uma funcionária da escola que estava perto e pedi que olhasse por mim onde ela estava pois se eu fosse colocaria tudo a perder. Ela, que nem é da turma nos meus filhos, falou rapidamente: É uma dos trigêmeos? Estão os três juntos com a tia brincando no "areial". Graças a Deus. Alívio.



Ficaram lá por uma hora. Me deu até vontade de ir no banheiro, mas nem fui pois tava no caminho e não queria ser vista. Esperei para quando eles saissem para o lanche. Aí foi quando as meninas lembraram ter mãe. Ao ter que sair do areial para o refeitório, elas choraram me procurando, mas me viram, tivemos uma nova conversa e elas foram lanchar sozinhos dessa vez. Ufa!



Graça foi na volta do lanche, que a tia arruma uma filinha para voltarem para a sala de aula organizadamente e vieram os alunos na fila e o Rodrigo no meio. Passou por mim, me viu, mas não saiu da fila, entrou na sala e sentou na cadeirinha. Um homenzinho. Que orgulho! Depois vieram as outras duas, não chorando, mas também não na fila, vieram dispersas com as outras tias como se quisessem mesmo mostrar que estavam ali a contragosto. Quem aguenta?



O segundo dia não preciso nem dizer que foi melhor que o primeiro. Rodrigo já está ambientado. Luisa é uma questão de tempo, mas se chorar também é pouco e ela é facilmente entretida. Natália ainda não está convencida nem satisfeita, mas já está se permitindo brincar com as tias e de pouquinho em pouquinho acho que vai dar certo.



Eles estão dormindo para o terceiro dia. Torçam pos nós!!! Beijos mamães queridas.



P.S.: Não coloquei fotos da escolinha pois já estamos bastante expostos no blog, mas colocar a foto do uniforme vai além da exposição e já oferece um risco, afinal todos sabem os nomes dos três e o horário que estudam. Não precisam saber ONDE né? Para os amigos, mando quando der por email ou vocês vêem pessoalmente aqui em casa revelada! ;-)

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Iniciando na escolinha parte I

Como já mencionado anteriormente, resolvi colocar as crianças na escolinha. Eles estão crescendo, se desenvolvendo e o momento deles agora pediu algo mais que cuidadora, mas uma educadora. Além de que dessa forma, farei de forma gradativa: menos traumática para ambos os lados.



Enquanto ainda não estou trabalhando, fico com eles pela manhã e eles vão à escolinha pela tarde. 4h apenas pra começar. Com o tempo vou aumentando essas horas e quando finalmente voltar a trabalhar, estaremos adaptados e então eles estarão acostumados para passar o tempo intergral. Insisto em dizer que cada caso é um caso e não quero dizer que aquelas mamães que não tiveram chance de fazer essa adaptação gradual estão erradas. Falo do meu caso especificamente ok?



Escolhi uma creche escola perto de casa. Passei por umas 15 até escolher essa. Umas MUITO boas porém Exageradamente CARAS, outras MUITO RUINS. A eleita me pareceu boa naquilo que se propõe, me senti bem no ambiente e, me colocando no lugar dos meus filhos, achei que seria um bom lugar pra estar quando não no aconchego do lar. O preço não foi dos mais simpáticos nem também o mais salgado, mas conseguimos um desconto por serem três e fazemos um esforço não é?



Lá, já no Maternal I, eles iniciarão aulas de inglês, informática, culinária, jardinagem, ballet (para as meninas) e capoeira. Quem aguenta minha gente? SUCESSO total né?



Começamos dia 1 de agosto e nessa primeira semana, que eles chamam de adaptação, eles ficam apenas 2h por dia até se acostumarem. (Se ficarem bem e a mãe quiser deixar mais pode, mas não foi meu caso, conto mais no post escolinha parte II). rsrs



Minha rotina por aqui deu uma mudada, agora temos horário a cumprir, portanto, mais organização será necessária. Eles estão acordando 8h, tomam seu leitinho, brincam até as 10h, vão pro banho, almoçam às 11h e dormem em seguida do almoço até às 13h. Quando eu os acordo (os que ainda não acordaram espontaneamente) visto correndo o uniforme e levo na escolinha que começa 13:30. Essa parte pelo menos, tanto ontem quanto hoje, consegui fazer nos horários determinados. Achei que eles não iam conseguir dormir 11h, afinal eles acordam tarde, mas parecem que entendem e colaboram.



Deixa eu ir pois falta meia hora pra eu acordá-los e arrumá-los pra escola. Vou conferir a mochila e as lancheiras. Beijinhos para todos.