quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Namorando, Aprontando, Criançando...



Meu Deus, eu só tenho a agradecer por poder estar em casa temporariamente para acompanhar o desenvolvimento das crianças. Como passa rápido! Eu não estou trabalhando, mas pelo fato de ter ajudantes, quase sempre tenho de sair para fazer compras, ir no Hortifruti quase que diariamente, reservo uma hora na semana para ir no salão fazer as unhas, agora meia hora por dia para "brincar" no Wii Fit que Papai me deu para queimar calorias e de função doméstica tenho apenas responsabilidade pela cozinha. Uma hora pelo menos estou lá fazendo comida para os pequenos e para os grandinhos. Além de tentar sempre reservar pelo menos meia hora para meu cochilo vespertino. Mas como não trabalho ainda, resta bastante tempo para ficar com as crianças e as vezes ainda acho pouco!

Gente é uma novidade dia após dia! É uma palavra nova, um dente novo, uma mordida nova, um beliscão novo. Eles agora sobem toda a escada. Se deixar vão até emcima. Cada um de um jeito. Luisa sobe em pé. Natália de quatro, Rodrigo vai dos dois jeitos, vai se ajustando como consegue. Por isso hoje fiz uma nova aquisição. Mais uma grade de proteção para portas. Vou colocar no primeiro degrau da escada.

Agora estão "namorando". Quando pedimos pra eles namorarem, todos piscam os olhos. Se pedimos pra chorarem, eles fingem que estão chorando, quem aguenta? Dão beijo uns nos outros se o outro chora, mas este outro que está chorando nem sempre quer beijo e aí começa luta livre. Daquelas de vale tudo mesmo: É puxão de cabelo pra cá, beliscão pra lá e dentadas rolam soltas. Agora Rodrigo está sob supervisão pois está deixando marcas pelas meninas. Um terror! Já mencionei isso aqui antes, ele deu uma parada, mas agora voltou.

Sabem o que é carro, sair, rua, pedem pra colocar sapato, o que significa que querem sair, soltam beijo, fazem careta de fedor quando fazem coco, falam nãonão quando estão fazendo coisa errada, mas mesmo assim fazem. Entre tantas outras coisas que não me lembro agora.

O negócio é que são coisas pequenas de grandes significados para eles pois significa aprendizado e descoberta e para nós mães que passamos a crescer com eles. Sim porque eu sempre fui uma eterna criança e agora então estou realizando tudo que antes deixei de realizar. Me divirto horrores com os brinquedos novos, gente quanta novidade em brinquedos hein?!!! Isso fica pra outra postagem.

Portanto sinto-me privilegiada por estar vivendo essas novidades com eles dia após dia. Isso não tem preço. Lógico que as vezes cansamos de estar dentro de casa, de ouvir choro, de ficar suja de papa, de limpar coco, de separar brigas, de falar tanto não, mas isso só me faz agradecer ainda mais a Deus por poder sustentar duas ajudantes e por elas os tratarem tão bem e aí em momento de estresse, cansaço ou simplesmente falta total do que fazer, vou ao shopping, faço uma massagem, almoço com uma amiga ou simplesmente vou na padaria. Portanto minha atual profissão é ser mãe e mulher nas horas vagas. Melhor que a encomenda né? Também acho. Nessas horas percebo que fiz a escolha certa (pra mim) de dar uma pausa no trabalho. As pessoas me perguntam se dão muito trabalho. Dão sim, como toda criança dá, mas estamos levando mais fácil do que pensávamos quando eu estava grávida!

Desejo que todas as mamães que nos lêem tenham esse mesmo trabalho, pois vai significar que seus filhos estão saudáveis para "criançar". É trabalho sim, mas extremamente gratificante e recompensador. Beijos a todos.

9 comentários:

Anônimo disse...

Paola, acompanho seu blog e fui indicada por Marla (sou amiga dela da comunidade das casadas e de Rê - mãe de Pietra tb), tenho um bb q fará 1 aninho semana q vem. Olhe, te admiro muuuuito como mãe e como pessoa, viu? Sempre positiva, prática na forma de criar os filhos, parabéns!!!
Sou sua fã pq crio meu filho só com meu marido, longe das nossas famílias (somos baianos e moramos no norte do Brasil) e é puxado, mas ver vc dando conta de 3 de uma forma tão sábia, me encoraja sempre!!!

Parabéns!
Bjão, Fabi

Paola disse...

Poxa Fabi,

Primeiro, prazer em conhecê-la, continue acompanhando o blog e espero poder contribuir positivamente sempre.

Agradeço suas palavras carinhosas e encorajadoras, nessas horas confirmo que alguma coisa estou fazendo certo e também sendo reconhecida. Tomara que as crianças possam dizer o mesmo quando crescerem. Vivemos pra eles não?

Beijinhos e boa sorte com o seu tesouro.

Julia Usui disse...

Oi Paola, acho tão bacana mães que podem "escolher" por ficar em casa cuidando e acompanhando de perto os filhotes... eu não tive mt alternativa, tive que voltar ao trampo e sinto uma culpa gigante por isso... fazer o quê né? Faço td p/ dar mais conforto à eles.

bjin

http://osgemeosdaju.blogspot.com/

Uli disse...

Olá Paolita! É uma oprotunidade para poucas mesmo...até pq muitas mulheres não se sentem tão realizadas assim estando em casa como nós. Eu sempre digo que o importante é ser feliz. Tenho amigas que ficaram em casa por terem uma vida mais confortável e quase entraram em depressão, pq realmente precisavam do trabalho e não financeiramente, por paixão mesmo.
Eu estou feliz do jeito que estou, pq a coisa mais difícil neste mundo sou eu me sentir cançada ou estressada...e de quebra tbm vivo tudo isso que vc mencionou. A alegria de estar perto na hora das descobertas deles...pra mim não tem preço.
Mil bjs, seu trio tá lindo!

Paola disse...

Pois é isso mesmo JULIA, eu falei exatamente isso, que agradeço o fato de poder estar vivendo isso, mas essa não é a realidade de todos por diversos motivos e nem por isso você deixa de ser uma boa mãe.

Na verdade, o mais comum são mães que trabalha mesmo e faz parte. Não se sinta culpada. Tenho certeza que quando você chega, tira o atrasado. Meu marido trabalha o dia todo mas é extremamente presente, participativo e paizão.

Acho que as crianças nos amam igual mesmo eu estando em casa mais tempo. Na verdade, ele é até mais festejado por ser mais novidade. rsrs

Também tenho planos de trabalhar, não pretendo viver de mãe sempre, até porque logo logo eles vão pra escolinha e aí eu quem ficarem com saudades.

RELAXE e curta seus filhotes sem remorso, afinal foi o que eu disse né? Vivemos para eles, cada uma de sua forma. Até seu trabalho, é pra dar conforto a eles. Beijos

Adriana Barretto Bomfim disse...

Paola,
igual a Fabi cheguei aqui através de Marla e Renata...
desde já sou sua fã,viu?pq tenho 1 filha de 3m e já estou cansada de dormir mal,imagina vc com 3 filhos!
me pareço com suas amigas q v falou,preciso voltar a trabalhar,não gosto de ficar em casa,mas ao memso tempo fico culpada pq vou deixar minha filhota...
bj

Mariana disse...

Paola!!!!
Acompanho teu blog desde que fiquei grávida - e por coincidência foi exatamente quando teu trio nasceu!!!!
Realmente é muito legal poder acompanhar o crescimento e desenvolvimento dos nossos filhotes e, embora tenha voltado a trabalhar, tenho conseguido ficar bastante com eles e não perder momentos de conquistas da turminha!
Consigo ficar em casa com eles de manhã, e a tarde, sempre que dá, dou uma fujida e venho para casa (tenho o privilégio de morar em uma cidade do interior, que em 5 minutos estou em casa).
Também trabalho a noite (algumas), mas ai eles já estão dormindo!!!
Se pudesse, com certeza seria mãe em tempo integral!!!
Bjs e parabéns pelos filhotes que estão cada dia mais fofos!!
Mariana
www.mmmais3.blogspot.com

Trimãe Paola disse...

Pois é Mari e Adri, essa é a realidade da maioria. Voltar a trabalhar. Até porque nos faz bem também. Deixa eu explicar meu caso, na verdade as crianças foram a gota d'agua para eu deixar meu trabalho sabe? Infelizmente apesar de pós graduada, aqui no Nordeste minha profissão está muito mal remunerada, não que eu reclame do local que trabalhava, até gosto muito de lá pois sempre me respeitaram como profissional e até pagam acima do mercado, mas eu moro distante, passava muito tempo fora, e o ganho que não era tanto, em face do momento que eu vivia, recém mãe de três, passou a não compensar e, com apoio do marido, deixei o trabalho (temporariamente) para me dedicar às crianças. Quando eles estiverem mais independentes, mais precisamente ano que vem, quando eles ingressarem na escolinha (ai meu Deus)aí eu penso no que farei para retomar minhas atividades. Não sei ainda em que... Enquanto isso amadureço a idéia de que caminho trilhar... beijos mil e sinto-me lisonjeada por ter até fãs!

Ana Luisa disse...

Oi Amiga. Estou lendo os posts que não tinha lido ainda!
Eu quero ver minha afilhada "namorando" comigo... hahauhaua, que lindoo.
Você é uma mãe incrível amiga, honestamente, me incentiva ainda mais a ser tb.
Tenho certeza que poderei contar com sua habilidade e grande experiência qdo chegar o meu momento.
Vou fundar o seu fã clube, já somos várias aqui =)
Beijo gigante