segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Férias

As férias aqui até que demoraram a chegar. Como as crianças não ficam apenas aquele horário de escolaridade regular e sim um periodo um pouquinho mais prolongado, os caracterizando período integral, as férias são bem curtinhas. É apenas durante as festividades mesmo. Início de janeiro retorna.

Eles tiveram aula até dia 21 de dezembro e nem precisei me esforçar muito pra inventar afazeres para estes primeiros dias pois já tínhamos alguns eventos agendados, além do Natal e Ano Novo, teremos que inventar apenas nos intervalos.

Sábado passamos um dia bem climão de férias em casa começando com pintura de desenho das princesas que eu peguei na internet e imprimi uma dúzia de cópias. rsrs Depois os coloquei para fora de casa e dei bolinha de sabão que eles amam, depois trocamos o banho cconvencional por banho de mangueira, almoço caseiro em casa mesmo, cochilo e seguimos para o aniversário dos amigos trigêmeos de Niterói. Saímos de lá aproximadamente umas 22:30, chegamos em casa 23:30, ainda quiseram tomar leite e assistir um episódio de Barney antes de dormir quase 00:30. Onde desliga esse povo minha gente?

Domingo também almoçamos em casa, acho que estamos pegando o gosto, se não fosse a bagunça e a pia cheia, eu prefereria fazer sempre assim, mas não dá. Depois o velho cochilo da tarde e ao acordar fomos ao cinema assistir A ORIGEM DOS GUARDIÕES. Os três AMARAM, basta dizer que Luisa aplaudia espontaneamente quando o bem vencia! kkkkk

De lá ainda fomos no Outback para o aniversário de uma amiga minha, mas controlá-los em fila de espera por mais de uma hora não foi bem sucedido e preferi ir embora antes de sentarmos. Como recompensa passamos no Mac para um lanche. Eles não adeptos ao fast-food, estilo junky food, mas ontem forma à forra: dois mac lanche feliz divididos para 3: cada um comeu meio x burguer, suco de uva, pois não há refris por aqui ainda e a maça que vem junto! Não preciso nem dizer que neguei o leite antes de dormir né, apesar de terem pedido mesmo assim!

Hoje é segunda, véspera de Natal, estamos indo para casa da avó para almoço de Natal, troca de presentes e vamos dormir por lá para aumentar a farra. Assim que der volto aqui para contar como foi a festança, comilança e presentança.

Beijos e FELIZ NATAL PARA TODOS.

Que o Espiríto Natalino traga paz, alegria e amor para nós e principalmente para nossas crianças. E que eles preservem esse espírito para construirem um futuro melhor.

P.S.: Quem não viu, super recomendo o filme hein, fala inclusive sobre esse encanto e crenças e o poder da fé das crianças em torno dessas festividades Natal, Páscoa, etc. Muito bom mesmo.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Começou o Natal



Dia 5 último aconteceu  a tão esperada festa de encerramento da escola das crianças. Festa, música, comilança, apresentação, Papai Noel, presente. Enfim farra pura das 19 às 23h! Chegou em casa o resto de mim! rsrs

As crianças brincaram muito, as meninas apresentaram direitinho a coreografia ensaiada e o Rodrigo, esteve presente no meio dos outros, o que é um avanço, mas não quis dançar. Cada qual com seu cada qual né? Fiz um vídeo há dez dias com ele TOTALMENTE à vontade em casa cantando e dançando, mas na rua e no meio de estranhos, ele não é dado a exibições. Vamos respeitar.

Achei interessante pois a música da festa, apesar de promovida pela escola, não seguiu um repertório infantil e então me surpreendo pois a Luisa tinha coreografia para o Quero Tchu e quero tcha (nem sei como escreve) e tocou outras músicas a exemplo de Kuduro, Michel Teló, a música tema das empreguetes e coisas do gênero. Sempre soube que eles aprendiam lá quando me apareciam com essas em casa e agora só confirmei. Não sou careta e até acho engraçadinho, mas acho que por ser escola, deveriam seguir sua função de Educadores e criarem um repertório adequado. Tem TANTA música infantil animada hoje em dia, de repente seria até mesmo mais interessante para eles e o estilo trash eles veriam na vida, pois sempre vai existir, mas em menos quantidade e não nessa ocasião. Sei lá, parecia que eu fui num bar e levei eles a tiracolo. Fica a dica para os educadores que nos lêem. Quem sabe eu não preparo um dia um lista com músicas alegres, legais e senão educativas, pelo menos mais adequadas? Vou pensar em executar isso.

Agora quesito presente: o Papai Noel compareceu com o presente prometido. Perguntei várias vezes o que eles queriam do Papai Noel e o Rodrigo sempre disse um trem. A Natália e Luisa (mulheres consumistas) queriam apenas: uma princesa, um príncipe, um castelo e uma Branca de Neve (Luisa) e uma Rapunzel (Natália). Eu tentei explicar que só podia um. Falei que Papai Noel tinha de presentear muitas crianças e só podia dar um presente senão nem todos teriam um... mas não adiantava, quando eu perguntava, recebia a mesma resposta, nenhum ítem a menos. Resolvi que o Papai Noel daria a princesa, a mamãe e o papai dariam o princípe e a vovó daria o castelo. A Branca de Neve eu falei que ela já tinha e a Rapunzel, bom a Rapunzel ela vai ter de esperar pra outra oportunidade. 

Graças a Deus, até o momento nunca houve nada que não pudemos ofertar aos nossos filhos, mas eu sempre conversei com o Roberto e sempre disse que eles precisavam entender que não é só pedir o que quiser e pronto: tem. O que vem fácil, vai fácil. Então nada que uma boa conversa não resolva.

Na festa, na hora de Papai Noel entregar o presente, eu fui de um em um perguntar: olha, sabe que o Papai Noel vai te chamar e te entregar seu presente né? Você lembra o que pediu? O Rodrigo respondeu: um trem e nesse caso foi fácil, falei bom, então acho que Papai Noel deve ter trazido seu trem, vamos esperar pra ver né? E fui ter com as outras: Natália repetiu a nossa conhecida lista de coisas e eu disse: filha, eu acho que Papai Noel só trouxe a princesa hoje. Lembra que eu disse que ele só podia trazer um único presente? Mas não se preocupe, que o dia de Natal mesmo ainda vai chegar, vamos ter uma festa com a família e daí eu tenho certeza que você ganhará seu príncipe e castelo da mamãe e da vovó depois. É só esperar. Ela reclamou e mas ficou quieta. Falei o mesmo para Luisa e ela entendeu e aceitou na hora. Eu quis evitar surpresa, frustração e malcriação. Aqui sigo a filosofia da conversa sempre.

Ainda assim, Natália esperneou por ter recebido apenas uma coisa, mas eu bati o pé do outro lado e ela parou. Já estão na fase de aprender. Agora é só esperar pelo dia 24! No mais, adoramos a festa. =)


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

NATAL - como preservar o encanto nos dias de hoje?

Minha gente, esse tema veio como que um estalo na minha cabeça agora. Muita gente reclama que Natal hoje em dia é apenas um motivo para alavancar vendas. Tem gente de certas religiões que não alimentam a fantasia da imagem do Papai Noel e coisa e tal.

Lógico que as vendas aumentam nessa época, mas não acredito que a fantasia foi criada para isso; as pessoas que utilizam disso como desculpa para vender e nós, para comprar e tem sido assim com tudo hoje em dia. Tem dia para tudo hoje e muitos viram até feriado. Então não condeno o oportunismo, faz parte. Mas não se trata disso o meu post.

Acredito que devemos ensinar a história do Natal para nossos filhos, e tentar praticar o espírito Natalino não só nessa época, mas na vida. Mas eu fui criada acreditando em Papai Noel, ganhei muito presente, escrevi carta, liguei para Papai Noel, enfim eu acreditei, coloquei sapatinho na janela e fui feliz. Me lembro bem que contava os dias para este evento.

Não sei vocês, mas na minha época, nós éramos inocentes até longas datas e eu acreditei até 10 anos e acho que acreditaria até a maioridade se meu pai não tivesse contado. rsrsrs

Enfim, eu alimento essa fantasia na vida dos meus três filhos, mas confesso que a modernidade está atrapalhando um pouco minha estratégia. Não sei se é coisa daqui do Rio de Janeiro ou apenas da modernidade mesmo, mas na creche dos meus filhos, eles fazem uma festa, contratam um Papai Noel e nós devemos mandar um presente que será entregue pelo mesmo no dia da festa. Ano passado foi assim e eu achei o máximo, pensei: "qual melhor forma de acreditar senão vê-lo pessoalmente e receber o presente das mãos dele? Que ideia genial, pensei." Mas menos de um ano depois e já mudei de ideia.

As crianças hoje com 3 anos já entendem mais, já cobram e é difícil de enrolar. Pensei em comprar um presente baratinho para mandar para a escola e depois comprar um melhor para ser entregue na nossa presença, para que pudéssemos desfrutar da alegria deles ao receber. Já estava ensaiando colocar o sapatinho na janela e passar essa magia para eles! 

Porém eles mesmo escolheram o que querem ganhar do Papai Noel e se o cidadão fantasiado no dia da festa da escola não der o que eles pediram eles podem ficar frustrado ou achar que o Papai Noel é um "cabeção" e trouxe o presente errado. Imagino eles devolvendo o presente dizendo que não era aquele ou então cobrando o que pediram. Então decidi que mandaria para a escola o presente "principal".

Tá, a contragosto, mas tudo bem. Daí recebi uma circular do condomínio, informando que teríamos uma festa no condomínio e que eles contrataram um Papai Noel e pediram um presente "simbólico" e o final vocês conhecem. Essa festa será 3 dias depois da outra... A princípio achei legal, confraternizar com os vizinhos, mas mudei de ideia, quantos Papais Noel existem? Quantos Natais? Quantos Presentes? Pra mim perdeu a razão! Estou frustrada de ter que mandar o presente para a escola e não vê-los ganhar.

Em família, continuamos comemorando dia 24 à noite, como todas as outras famílias, mas não faz sentido mais colocar sapatinho na janela e esperar 00:00h Papai Noel chegar. Ele já veio, esqueceu? Ahhh, tô indignada. Se continuar assim, com infinitos Papais Noel e vários presentes, vai banalizar o momento e vai ser cada vez mais difícil fazê-los acreditar. A fantasia não está devidamente "amarrada" e guardada a sete chaves...

Não sei como são nas creches de vocês e se há diferenças de culturas entre estados. Ano que vem, que eles vão mudar de creche e vão para uma escola, espero que não seja assim e se for, vou expor minha opinião na reunião de pais, vai que concordam comigo e assim inventam uma outra manobra para festejar? Sei lá, não custa tentar. Bem como alguma de vocês podem ler este post, viver situação semelhante e me dar uma dica de como preservar essa crença mesmo com tanta mudança em nossos costumes. Estou aberta a sugestões. Aprender e melhorar será sempre meu objetivo. E vocês, como pensam? Beijos e Feliz Natal! rsrsrs

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Curiosidades do desenvolvimento



Já faz algum tempo que tive a ideia de dividir algo que considero interessante e importante com vocês e sempre vamos fazendo coisa ou outra, tenho que contar as novidades e acabo adiando este post. Então vamos lá: quando pequenino um dos meus trigêmeos, o Rodrigo, tinha a perna bem tortinha, bem arqueada. Como fisioterapeuta, sei que ele tinha o geno varo, mas o pai, como um engenheiro e totalmente leigo no assunto, foi mais prático e acho que assim vocês visualizam melhor a situação: disse ele que era perna de alicate. Que horror! Mas enfim, porque estou falando nisso e nesses termos? Seria uma espécie e bullying materno? Não, apenas informação para ajudar as demais mamães.

Eu nunca me incomodei, pois conhecia um pouquinho do assunto e sabia que naquele momento o corpo dele estava ainda em desenvolvimento e eterna mutação. Se persistisse maiorzinho, procuraria um profissional especialista no assunto e trataríamos pois temos recurso de sobra para isso e muito mais, portanto sem desespero sempre! 

Algumas pessoas brincavam: olha como ele anda bonitinho, outros falavam que gracinha de perninha torta e ainda, uns mais próximos perguntaram se eu havia percebido a perninha dele ou se eu já tinha perguntado ao pediatra se isso era normal blá blá blá.

Eu sou zen mesmo e encaro tudo com muita naturalidade na maioria das vezes e como disse anteriormente, como se tratava de um assunto que eu conhecia um pouco, eu nem liguei e só estava dando tempo ao tempo até que a postura e marcha dele ficasse dentro dos parâmetros normais. Até perguntei ao meu marido, que é leigo tanto quanto os outros se ele se preocupava com aquilo, se era era "grilado" com isso e se havia em algum momento cogitado consultar um especialista. Ele disse que não, aí eu tive a certeza que estava no caminho certo.

Para não dizer que eu era dona da verdade ou uma mãe desnaturada, em uma das consultas de rotina com o pediatra do trio, inclui esta questão entre as minhas perguntas e ele falou que era normal sim e me falou melhor das fases, informação importante que trago para vocês:

Ele disse que todo bebê tende a ter os membros inferiores varo, uns mais acentuados, outros menos. Que essa situação normalmente é vista até os dois anos, quando a situação começa a se inverter e a criança passa adotar o geno valgo a partir de então, quando os membros inferiores, nos casos extremos, parecem formar um x e os joelhos se juntam ao centro. Da mesma forma, uns mais outros menos. Essa segunda etapa    dura dos dois aos quatro anos e a partir daí os membros tendem a se retificar. Se seu filho tiver um gênero muito acentuado seja varo ou valgo depois dessa idade, aí sim, você deve procurar um especialista.

Ele ainda brincou lembrando: você já reparou que vemos muito pouco crianças fazendo uso de órteses ortopédicas hoje em dia enquanto que antigamente aquelas botinhas corretivas pareciam fazer parte do uniforme das creches? Seria porque as crianças de antigamente nasciam com defeito e as crianças de hoje são mais perfeitas? Não, é que nesse meio tempo foi se estudando e conhecendo mais o desenvolvimento e descobrindo que as perninhas se retificariam por si só.

Hoje a analogia com o alicate não serve mais, as pessoas só vão saber da perninha tortinha do meu filhotinho porque eu vim aqui contar, acredito que ele não vá se incomodar. Ele está com 3 anos, percebemos que a curvatura "arqueada" se inverteu, mas nada acentuado, pra mim está quase retinha, mas ele tem até os 4 para começar a retificar. Não vou usar o goniômetro (instrumento utilizado para mensurar a angulação da articulação) para verificar a angulação final até porque ninguém é perfeito. kkkkk Espero ter ajudado. Segue fotinhas do antes e hoje. ;-)

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Férias parte II



Ainda na fase férias, viagem nordeste etc, vou falar sobre essa segunda etapa da nossa viagem. Sossegamos um pouquinho com aviões, estrada, mudança de estados. Aterrisamos em Salvador finalmente e por aqui ficamos 1 semana inteira. Menos cansativo mas não menos corrido. Com o intuito de visitarmos todos que queremos, lotamos nossa agenda e seguimos na nossas andanças.

Voltamos de Aracaju sexta-feira, fomos para a casa da dinda à noite e por lá ficamos. Sábado fomos no shopping para compras, almoço e daí dividimos as crianças em passeios independentes enquanto eu e papai seguimos para o casamento de Ili, como disse no post anterior. Domingo, acordamos cedo, coloquei roupas para lavar senão ficaríamos sem roupa para sair, fui exercer a cidadania e votar no segundo turno para prefeito de Salvador e então seguimos direto para almoço na casa da nossa antiga vizinha dona Tânia. Pessoa que além de ter se tornado grande amiga, foi muito importante em nossas vidas principalmente com a chegada das crianças e nos ajudou muito.

Passamos o dia todo lá. As crianças se comportaram muito bem. Comeram tudo, não estranharam, tiraram fotos, brincaram horrores e ganharam até banho de piscina com a vizinha, pois a mamãe e o papai estavam despreparados para tal, mas vizinha fez esse esforço e realizou a vontade deles.

Saímos à noite e ainda passamos na casa da Tia Sônia, comemos um hot dog, fizemos uma horinha e pegamos o carro. Demos uma parada na pracinha perto da casa da dinda, que tinha parquinho, descemos com os 3, brincamos 5 minutinhos e seguimos do jeito que estávamos para uma pizzaria encontrar a dinda e tio Dedé. Voltamos para casa quase meia noite para dormir mais do que cansados. Viram quantas visitas e coisas fizemos num só dia? E isso foi só o começo...

Na segunda, arrumamos a mala e fomos para a casa do vovô, daí começamos a nossa empreitada para ver a família. Visitamos Tia Solange, o bivô Adelson na segunda-feira, além de shopping e mercado, terça à noite foi a vez de visitar o tio Rick e conhecer seu bebê Gabriel e pra variar só um pouquinho, fomos Tb no shopping. Quarta feira fomos para a piscina na casa da dinda, recebemos a visita do tio Luiz de tarde e seguimos direto para casa do Tio Dan, onde ficamos até bem de noite.

Hoje, quinta-feira e véspera de feriado, almoço no Outback com Fernanda e vovô, shopping e de noite, casa da tia Iza com a dinda Ana... amanhã tem almoço na casa da tia Sônia para todos os parentes e tentarei ainda de noite ver tio Rick de novo.

Sábado temos que experimentar as roupas de pajem e daminhas pois a dinda casará em breve e retornaremos novamente para o nordeste com a mesma missão de padrinhos, damas e pajem! To igual artista, com agenda lotada! Kkk

Daí vamos ver quem faltou até meia noite, pois o dia só tem 24h e domingo voltamos para casa... Cansaram? Façam ideia de nós! Meus filhos amados, você são guerreiros viu? Obrigada por tudo, afinal isso tudo se deve a vocês. Até a próxima minha gente. Me desejem sorte! ;-)

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Férias rima com NOVIDADES!

Minha gente, se eu for contar nosso dia a dia das férias vocês vão cansar só de ler! O sistema é bruto! rsrsrs

Além de férias, passeios normais, estamos cheios de compromissos e queremos matar a saudade dos amigos e parente e isso tudo se expressa numa loucura só. Saímos de manhã e retornamos tarde de noite, fazendo várias paradas no interím e como se não bastasse, dessa vez fomos a vários estados, com hospedagem de todos os tipos e mais de uma modalidade de meio de transporte e as crianças surpreendentemente não estranham NADA! Como pode?

Saímos do Rio de Janeiro e pegamos um vôo de duas horas e meia para Recife, onde eu e Roberto seríamos padrinhos e as crianças, pajem e daminhas do casamento do dindo Beto. No dia do casamento foi AQUELA correria: salão inclusive para penteado de NAT e Lú, casamento, festa até duas da manhã e como não podia deixar de ser, saímos de manhã, tarde e noite, com direito a passeio em Olinda e praia da Boa viagem para aproveitar a viagem. 

Outra coisa boa foi a oportunidade de o trio poder conhecer seu outro bisavô que mora lá, então na nossa agenda foi encaixado também um dia para almoço e encontro do biso com os tribisnetos. Muito bom. 

Após 4 dias nessa terrinha gostosa, mais um vôo para Salvador, onde pegamos o carro e seguimos para estrada rumo à Aracaju - Sergipe para visitar a avó materna do trio. Matamos saudades também e como uma boa turista não podemos deixar de ir em diversos restaurantes, feirinha de artesanato, praia e até zoológico foram visitados por nós. Foram dois dias e meio e tivemos uma grata surpresa de a capital Sergipana estar muito bonita e organizada e hospedar muito bem as crianças.Muitas atrações gratuitas e parques arborizados e bonitos. ADORAMOS.

Novamente pegamos estrada e voltamos a Salvador, dessa vez fomos nos hospedar na casa da dinda Ana e  mais uma vez nossos cafés de manhã, almoço e janta estão comprometidos com os parentes e amigos que queremos rever.

No sábado à noite fui a outro casamento, de uma grande amiga Ili e as meninas escolheram ir para uma festa infantil com a dinda e Rodrigo preferiu ir ao parque com tia Nanda. Para minha surpresa eles foram mesmo e ficaram super bem. Eu é que estranhei o fato de sair sozinha, sem mão para segurar, sem fraldas para trocar e num silêncio danado! 

Agora estamos na casa do vovô e vamos passar uns dias aqui também mas ainda falta muito a ser cumprido, mas tô curtindo CADA momento com todos e adorando TUDO. As crianças não preciso nem citar. Estão achando tudo o máximo. Eu fico impressionada com o fato de eles continuarem acordando e dormindo na mesma hora mesmo nesse ritmo cansativo e de não estarem reclamando pois cada dia dormimos numa casa diferente, com uma estrutura diferente! Minha gente, quando falam que viajar  com criança é impossível, não acreditem. A dificuldade está na cabeça do adulto, na verdade é falta de coragem do adulto porque dá um pouquinho de trabalho, mas a criança mesmo curte muito e topa tudo.

Não posso dizer que é facinho, sim, de tanto viajar e nos mudar, fiquei sem roupa para eles por 1 dia pois as demais estavam todas sujas. E não foi porque eu trouxe pouca roupa não. Eu trouxe muita, mas eles sujam muito e com tanto faz mala e desfaz mala, vem pra uma casa, muda de casa acabamos deixando de lavar e faltou, mas enchi uma maquina e resolvi, pronto. Entre outras coisas que acabamos esquecendo afinal criança é uma caixinha de surpresa e eu estou longe de ser perfeita!

Vou indo porque já falei demais, depois adiciono a fotos deles do casamento pois não baixei ainda, mas farei o mais breve e venho aqui contar mais da nossa aventura de viagem; Beijos.


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

CONTANDO

Domingo retrasado Roberto viu Rodrigo contando os carrinhos. Ele contou até dez e como tinha mais do que dez ele perguntou pro pai e agora? Daí Roberto entendeu a situação e resolveu fazer um teste: colocava um e perguntava para ver e ele acertou todos. 

Depois desceu todo orgulhoso para me mostrar o pequeno prodígio! Fiz um pequeno vídeo, mas como na presença de câmeras e iPhones ou ele se esconde ou faz palhaçada, resolvei falar com a lingua de fora e não dá pra entender claramente como ele fala quando esta disposto, mas dá pra entender com um pouquinho de boa vontade. rsrs

Lá vai o meu filhote contador:

video






terça-feira, 18 de setembro de 2012

A FESTA

Então, estava devendo maiores detalhes sobre a festinha do trio. O evento mais aguardado (por mim) do ano. Acredito que foi tudo excelente. A decoração estava linda, tema Mickey e Minnie escolhido por eles, comida farta e gostosa, amigos reunidos e bastante animação.

Inclusive super recomendo a casa de festa em questão. Fiz na Espaço Infantil Festas no Engenho Novo, mega estrutura, tudo muito bom, muito atenciosos e preço super acessível. 

Tive um pequeno imprevisto pois as lembrancinhas que encomendei para a festa não chegaram a tempo e então tive de comprar outra NO dia e pedir ajuda dos meus amigos que estava lá em casa para arrumar. Não basta ser amigo, tem que ajudar. rsrs

Outra coisa boa foi poder ver a Uli e seu trio maravilhoso novamente na festinha do meu trio e poder finalmente conhecer mais uma multiplete, a Vanessa, mãe dos gêmeos Bernardo e Bruno, super fofuchos. Amigos nunca serão demais né? Adoro aumentar o circulo de amizades! =)

Outra coisa interessannte foi a pequena gincanazinha que fizeram com os adultos, o que obrigou os convidados interagirem na festinha e uns ou outros se destacaram nessa, a exemplo do Dindo Beto, Tio Dedé e o vovozão Adelson. kkk nunca vou esquecer!

Agora só torcer para as fotos e filmagens ficarem prontas e torcer pra estejam tão lindas como a festa!!!

Beijos mil e até!!!




sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Setembro de Festas



Que setembro é o mês do anivesário do trio todo mundo sabe, que o dia mesmo é dia 5, alguns devem saber, mas que essa comemoração dura mais que o carnaval acho que é novidade! kkk

Ano passado até comentei aqui no blog que por ter recebido 19 pessoas da Bahia lá em casa, cada uma chegando num dia diferente, munidos de presente sempre e etc, a zona foi grande e a farra igual. Pensei então que aquele ano seria uma exceção, mas vi que estava errada. Mesmo com menos pessoas em casa esse ano, pois nem todos puderam vir novamente, esse trio esse ano terão 3 festas e a farra começou mesmo antes do que previ.

Esse ano, como eles já estão na creche, vou fazer uma festinha lá também para que eles possam curtir com os amigos da mesma idade e que eles têm mais intimidade. Mas lá não permitem que os pais participem, a gente manda a comida e pronto. Daí eu encomendei um bolo pra creche, uns enfeites com tema pra enfeitar e mandei pra eles, eles arrumaram e cantaram parabéns. Encomendei lembrancinha para os coleguinhas e mandei junto a máquina fotográfica para eles registrarem para mim e para o trio verem quando crescer.

Para que eu possa participar da festa também, encomendei outro bolo com alguns salgadinhos para festejarmos no dia 5 mesmo, com os avós e tia Di e Lena, aproveitando também para celebrar a casa nova.

E por fim, a festa propriamente dita que será numa casa de festas, no dia 8, dessa vez novamente com a família mais os amigos, mais meus baianos e aí sim sensação de missão cumprida!

Com o passar do tempo comemorar está ficando cada vez mais interessante pois eles já entendem a palavra aniversário, associam à festa, a presentes, a amigos, a casa cheia, ao avô e tias em casa, enfim, acho que esperam por isso. Não sei se estou colocando meu sentimento no meio, mas o que eu entendo e imagino que seja, é que existe uma expectativa em volta dessa festa comum que toda criança sente ao esperar seu aniversário, porém um pouco mais especial pois no caso deles não acontece só a festa, mas também uma reunião maravilhosa de pessoas que eles amam muito. Eu particularmente amoooo tudo isso.

Já estamos com as tias Nanda e Érika da Bahia, vô Adelson, Dinda Ana e Tio Dedé e aguardando Dindo Beto e tia Manú que estão vindo direto de Recife, ô beleza!

Fato é que estou muito contente com esse calor humando que está aqui em casa e ansiosa pelo resultado da festa. Depois venho aqui contar! ;-) 



terça-feira, 28 de agosto de 2012

Quarto Novo, Vida Nova!


Quarto novo, vida nova.

Enfim missão cumprida. Crianças dorme sozinhas em seu próprio quarto e a noite toda!

Sempre achei que as crianças devem ter seu cantinho, sua independência e individualidade e os pais, por sua vez uma merecida noite de sono, um tempo a sós como casal para se curtirem, enfim, uma vida saudável e o menos exaustiva possível.

Com 8 meses, que as crianças já começam a entender, criar hábitos e uma fase pré vontades, eu os coloquei no berço, no quarto deles e a babá eletrônica ligada. Era cansativo pois quando algum acordava eu tinha de levantar, ir até lá, não podia levar para minha cama, portanto esperava eles dormirem e aí de manhã estava como um zumbi. Logo eu que adoro dormir! Nessa empreitada o Roberto nunca foi muito colaborativo pois tinha o sono pesado e era mais difícil acordar ele e fazer ele levantar do que ir lá e resolver a questão.

Mas eu estava sendo firme. Daí veio a mudança para o Rio, ficamos 20 dias em hotel e casa da sogra, com as crianças na nossa cama e ficaram mal acostumadas. Depois comecei a trabalhar, fiquei exausta e não comprei mais a briga. Quando algum acordava de noite, eu chamava pra minha cama e pronto. De manhã eu estava no quarto de hóspedes e Roberto com os 3 sozinhos. Se a super Nanny visse isso iria falar horrores e eu sabia que estava errado, mas vencida pelo cansaço deixei assim.

Depois mais uma mudança, aí já nem tínhamos os móveis, pois fiz planejados e não havia chegado e enquanto esperávamos os 30 dias para eles chegarem, as crianças ficaram novamente em nossa cama, acampados. Achei que não ia me livrar disso nunca.

Até que o quarto deles enfim ficou pronto, cama nova, de solteiro, tricama. Casa nova, quarto novo, cama nova: VIDA NOVA. Fiz uma festa para apresentar a eles o quarto novo, como se fosse o evento do ano. Eles amaram, cada um escolheu sua cama e deitaram. Eu liguei a TV, coloquei desenho, dei o leite de cada um e informei que aquele era o quarto deles e que mamãe ia dormir no quarto dela. Caso precisassem era só chamar, pois eu estaria perto. Saí e pronto. Simples assim. Ninguém me chamou. Demoraram para dormir, mas dormiram sem nossa presença. E dormiram a noite toda.

Passaram 15 dias nessa vida e agora toda noite faço esse ritual de colocá-los na cama e vou para o meu quarto, navegar na net, falar no telefone, assistir meus seriados favoritos, e até filme tenho assistido com o marido duas noites seguidas! Nem parece que tem criança em casa. Muito estranho e eu, sentindo falta, de vez em quando levantava sem ninguém chamar só pra conferir como estavam. E na hora que fui dormir mesmo, fiquei sentindo o vazio com saudadezinha dos meus pimpolhos. Mas a qualidade do sono melhorou, o desgaste de coloca-los para dormir é coisa do passado e no fim fico orgulhosa de dizer que consegui: missão cumprida!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Eu voltei, agora pra ficar...



Minha gente não sei ao certo quanto tempo estive ausente. Além da falta de tempo dado a nossa rotina pesada, me sobrou cansaço e falta de coragem. Quero ser sincera e pedir desculpas pelo sumiço. Graças a Deus, me mudei finalmente, acabaram as obras, móveis estão montados e resta apenas arrumar, coisa que vai demorar, mas vamos conquistando dia após dia.

Vamos ao que interessa: as crianças. Sumi bastante tempo e esse tempo nessa fase deles é extremamente relevante pois TODO dia é uma novidade, então: haja novidade!
Infelizmente não lembraria de todas que passaram e seria exaustivo esse texto, portanto vou dar continuidade a partir de hoje. O trio se aproxima do terceiro aniversário e a expectativa é sempre grande, afinal é quando conseguimos de fato encontrar amigos, parentes, meu povo da Bahia, época de festa, enfim, sempre muito esperado.

Esse ano estou um pouco triste pois não me dediquei a festa o tanto que queria. Eles próprio, o trabalho e a mudaça consumiram todo meu tempo e estou tentando ajustar o que der agora mesmo, emcima da hora. Mas tenho certeza que vai dar tudo certo e a presença dos amigos e o enorme carinho dos parentes é o que mais importa.

Uma novidade relevante é o desfralde da galerinha. Comecei em junho, quando Roberto viajou e minha irmã estava aqui e me ajudou. Tive três reações diferentes com os 3. A Luisa simplesmente tirou a fralda e virou uma mocinha: simplesmente assim, de uma hora para outra. SUCESSO absoluto. Desde junho de calcinha, com muita tranquilidade.

 O Rodrigo começou junto com ela, mas de vez em quando tinha uma perda e então a gente não confiava 100% nele. Quando saíamos colocava fralda nele, pois temia que essas perdas acontecessem na rua e uma coisinha pequena, com esses três e sem ajudantes, como muitos que nos conhecem sabem que é assim, vira uma coisona grande e eu deixei ele de fralda na rua e cueca em casa. Até que um dia (não demorou muito) ele pediu pra não colocar fralda e tmabém está 100%. A mais nova de todas, é que muito recentemente ele conseguiu fazer xixi em pé, como um meninão mesmo. AIai, meus filhos definitivamente estão crescendo.

A Natália não demosntrou interesse no desfralde e com a dificuladade que estava nossa rotina ultimamente, estávamos literalmente acampados em casa, por comodidade, deixei ela na fralda e não insisti no desfralde. 

Desculpa filha, mas vamos retomar isso, bem como pretendo retomar com o blog! ;-) Tia Nanda estpa vindo de novo e prometeu ajudar.

Minha gente, acho que para um retorno, consegui dar uma boa pincelada, pretendo não demorar em dar notícias,

Beijos no coração,

Paola.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Dicas


Na verdade ia fazer um post falando de um restaurante que fui nesse feriadão e gostaria de recomendar às mamães do Rio de Janeiro, mas uma coisa leva à outra e farei outras indicações no mesmo post.

Para algumas mamães blogueiras não será novidade, se forem como eu então, que vivo em busca de adaptar tudo ao mundo das crianças para poder vivermos melhor, meu google está sempre assim: restaurante para crianças, programação cultural crianças, o que fazer com crianças, feriadão com crianças e assim vai. Então se fala de crianças, pode ter certeza que já passei por lá, mas para aquelas que não vasculham tudo, mas seguem indicações, um site legal que uso desde o momento que soube que moraria no Rio de Janeiro foi o www.kidsin.com.br. Lá você tem a opção de escolher o tema de interesse e terá uma lista de sugestões de lugares para tal finalidade na cidade maravilhosa, com direito a descrição do local e endereço.

Foi assim que descobri o restaurante motivo real desse post. O nome do boi é o Johnnie Pepper, fica no shopping Via Parque, na Barra da Tijuca. Sou fã desses restaurantes estilo Outback e cia, meu marido simplesmente ama e sempre fui com as crianças, mas confesso que o giz de cera e uma mera televisão já não era mais suficiente pra entreter o trio e eu acabo sempre escolhendo aquele que tem entreteniimento para crianças.

O Applebee's do New York City Center que também fica na Barra, até tem um espaço pra crianças e uma pessoa que fica de olho nas mesmas, mas atende mais a crianças maiores, pois tem um wii pra entretê-los.
No quesito brinquedo é muito pobre e os meus acabam ficando dez minutinhos e logo vêm nos encontrar na mesa e aí perde o propósito. Para as mamães de crianças maiores, fica a informação que existe o espaço.

O Johnnie Pepper, minha nova descoberta, tem um cardápio muito parecido com os da mesma categoria, o que interessa a nós adultos, que apreciamos tal culinária, conta com um salão enorme, telão, muito bem decorado, quer dizer, excelente ambiente e isso já nos enche os olhos. Eu gosto de sair, de estar em lugares bonitos, lugares diferentes e adoro restaurantes temáticos, que me fazem lembrar das viagens que fiz e que estão, por motivo de força maior (três pequenos), temporariamente suspensas.

Além do mega espaço, seu maior diferencial para mim é o kid's place que dispõe. Espaço não muito grande, mas com TV passando desenho, mesa com cadeiras, papel e lápis para desenho, bastante brinquedo o a recreadora que fica com as crianças acima de 2 anos mesmo desacompanhadas dos pais(importante dizer que tem um limite de idade até  6 anos). Elas colocam uma pulseira com o nome da criança e a mesa onde os pais estão sentados. Além que terem uma prancheta onde preenche os dados dos pais, telefone, registra a hora de entrada e saída. Bem organizado. Deixei os três lá e fui escolher o menun com o maridão e consegui até uns minutinhos pra namorar. Pra que melhor né?

Não estou ganhando nada com a propaganda, mas como se não bastasse, tem um menu especial para as crianças, gostoso e com preço legal. Não foi à tôa que percebi que de cada 10 mesas ao meu redor, 9 tinha crianças. De todas as idades. Foi tão bom que fui no sábado e repeti a dose no domingo. Se quiserem saber o menu do trio, no primeiro dia pedimos um fetuccine à bolonhesa, molho ralinho, nada pesado ou gorduroso e muito pouco sal. No meu gosto até demais, mas se vê que é feito especialmente para aquele público. No domingo pedi um filé mignon com batata sorriso e uma porção extra de arroz com brócolis. Eles comeram tudo e amaram. Super recomendo.

Falei tanto desse que terei de ser breve na próxima dica: também extraída do Kids in, o restaurante GUGUT, localizado próximo ao Rio Morto, em Vargem Grande, proporciona contato com a natureza. Tem uma casa de madeira para as crianças brincarem e parquinho de madeira. Para os adultos a comida é MUITO gostosa. Leitão, costela e coisas do tipo são especialidades da casa, mas o que eu mais gostei mesmo foi o menu infantil. Não tem opções, você pergunta ao garçom qual o menu do dia e ele traz. Mas acho que sempre é a mesma coisa, senão, com uma pequena variação, mas buscando balancear a nutrição sempre.

O prato era farto, e vinha arroz, purê, ovo estrelado, filé mignon que já vinha cortadinho em pequenos pedaços e feijão batido. Quer dizer, mais nutritivo impossível e com todo cuidado de vir bonito e no ponto para os pequenos. Como os meus têm apenas dois anos e meio, pedi um prato que serviu para os três. Dividi naqueles pratos de sobremesa e só precisei de uma porção de arroz extra pois meu povo tem que de asiático e curte um arroz à beça.


Também super recomendo, mas levarei tubos de repelente para próxima visita. A vista é linda e bem saudável, mas como é cercado de verde, tem mosquito e abelha à vontade.
Espero que gostem das dicas e quem quiser deixar mais dicas nos comentários, vou adorar.


sexta-feira, 6 de abril de 2012

Cinéfilos




Mais um feriado com aproveitamento 100% do dia e nota dez desse trio.

Hoje estivemos "pela rua" desde as 10:30 da manhã. Fomos na casa de festas onde será a festa do trio para assinar o contrato e efetuar o pagamento e eles aproveitaram pra curtir um pouquinho os brinquedinhos. De lá seguimos para nosso almoço no Galeria Gourmet, do Norte Shopping que eu já conhecia; tem uma comida bem diversificada e maravilhosa, mas o motivo de eu estar citando aqui não é nem por isso, mas sim para servir de dica para as mamães pois tem um espaço para recreação MUITO bom. Crianças a partir de 3 anos já podem ficar sozinha com os monitores e os menores ficam acompanhada dos pais. Eu almocei tranquila, com os três e no final levei eles pra conhecer o espaço. SHOW de bola. Piscina de bolinhas, Carrossel, Wii, Telão com Discovery Kids, Mesas e cadeiras com lápis e papel pra desenhar e monitores fazendo brincadeiras. As crianças saíram de lá tatuadas inclusive. Bom mesmo. #Ficadica

De lá demos uma voltinha e comprinhas e decidimos ir ao cinema. Não tivemos muitas opções. O único filme infantil do momento é o LORAX, que eu nem esperava muito, mas igualmente SUPERRECOMENDO. História bem legal, muito bonito e colorido e muita música. Meu trio ficou quietinho do início ao fim, pra ilustrar bem a situação, diria que eles sequer piscaram. rsrs

Ah, esqueci de contar que o filme é 3D e as meninas assistiram o filme TODINHO de óculos. Rodrigo colocou o óculos durante o trailler e acho que ficou enjoado daquilo que tirou no comecinho do filme e não quis mais colocar por nada. Mas também nem insistimos.

Depois da sessão que durou uma hora e meia, tomamos um sorvete para arrematar o dia e fomos para casa. Chegamos em casa umas 19:30, brincaram mais um pouquinho e às 20:40 já estavam os três em suas respectivas camas, no seu 15o sono. ô beleza.

Sei que eles estão super cansados, mas confesso que nós também ficamos. EU ADOOOOORO esses programas e faria todo dia, mas cansa tudo, afinal não tenho mais 15 anos nem 50Kg, Oh God. Eles cansam e a gente carrega e aí já viu né? Mas é muito bom e eu indico a todas. SAIAM mesmo. Saiam muito. A gente só precisa saber pra onde e fazer o que, afinal o programa tem que interessar a eles, assim sai proveitoso para todos. Sei que esse não seria jamais um filme de escolha do meu marido ou do meu pai, mas de que adiantaria assistir o Titanic em 3D com o criança, que com certeza ficaria entediada (confesso que nem eu aguentaria mais), ia chorar, ia querer ir embora e no fim nem a criança e nem o adulto tirariam proveito. Por isso muitos optam por fazer NADA.

Fiquem com umas fotos e muitos beijos. E o feriadão está apenas começando para nossa alegria!!!


segunda-feira, 2 de abril de 2012

VIROSE

Minha gente, passei um "perrengue" aqui em casa semana passada. Natália ficou doente, mais uma dessas viroses que não se explica e apenas se espera ir embora, mas ficou mesmo muito mal, abatida como nunca até então.

Se já é ruim ter um filho doente, 3 então é a imagem da treva né? Graças a Deus os outros escaparam, não posso dizer que totalmente ilesos à virose, mas o grau de acometimento foi infinitamente menor.

Domingo retrasado, dia 25 cheguei a postar fotos dos 3 no face, falando do nosso domingo legal e a danada estava como sempre peralta descendo o escorrega de cabeça pra baixo e naquele mesmo domingo ela fez um cocô líquido à noite e foi assim que tudo começou.

Na segunda-feira dia 26 deixei os 3 na creche como de costume e de tarde me ligaram informando que Natália estava com febre.Pedi que a medicassem e dali a 30 min eu iria buscá-los. Mas em 5 minutos, recebi uma outra ligação informando que a Luisa estava vomitando e fez coco líquido... aiaiaiai a semana começou movimentada. Saí meia hora antes do trabalho e fui buscá-los. Naquela mesma noite resolvi levá-los numa emergência para ver o que era e medicar o quanto antes pois eu e o pai trabalhando é muito difícil socorrê-los durante o dia e uma vez que as duas estavam mais ou menos, era melhor resolver logo.

Fui numa clínica 24h e tinha 35 crianças na nossa frente. Desisti. Segui para um hospital, num bairro mais distante e a previsão para atendimento era de 3 a 4h! Quem ia esperar era outro e não eu! Eu desisti pois em casa as crianças não haviam apresentado nenhuma alteração, estavam aparentemente bem e podia ter sido simplesmente um mal estar momentâneo e pronto. E com certeza ficar num hospital por 4 horas no meio de um monte de crianças doentes seria apenas expor ainda mais eles. Voltei pra casa e seguimos normalmente.

Na terça, me ligaram 13h informando que Natália estava vomitando, com diarréia e com febre novamente... Saí mais cedo, chamei minha secratária pra me ajudar e resolvi levá-los de dia, que o movimento de emergência era menor. Lá a médica mal olhou e disse que os outros dois não tinham nada e que a Natália estava adoecendo, mas que era muito cedo pra saber do que se tratava. Informou que não se leva criança para emergência por causa de febre (até aí tudo bem) mas continuou dizendo que apenas em caso de 3 dias seguidos com febre, devia levar a criança no quarto dia ou se a criança apresentasse febre alta, 3 x seguidas no mesmo dia... Na hora não disse nada, mas depois fiquei indignada, pois fui tratada como uma mãe neurótica, exagerada e ainda por cima fiquei sem tratamento para Natália que estava cada vez pior.

Ela ficou muito abatida, não queria comer e recusava até mesmo a mamadeira. Desde então não dormi mais durante as noites socorrendo ela vomitando ou trocando fraldas de diarréia... Na quarta-feira nem a mandei pra creche, fui trabalhar apenas pra prestar satisfação e fui liberada para levá-la a outra emergência. Aí a febre já estava 39,5 e ela dormia 24h por dia. Passei o dia na emergência com ela, fizemos hemograma, descartamos a dengue e foi constatada a virose, pois não havia alterações que indicasse infecção. Enquanto eu estava na emergência, recebi uma ligação da escola dizendo que o Rodrigo estava vomitando. Nessa hora bateu a vontade de chorar, caiu uma lágrima, mas eu respirei, peguei a Natália e segui pra buscar os outros dois.

Imaginei que encontraria o Rodrigo abatido igual a Natália e mais branco do que já é me esperando desolado, mas pra minha alegria, encontrei ele bem e em casa ele aprontou horrores e comeu muito e me deu uma deliciosa sensação de alívio.

Na quinta estava de folga, tirei o dia pra resolver coisas e ficar com Natália. Nesse dia ela amanheceu toda pintadinha de vermelho e ao longo do dia só fazia dormir! Ela acordava pra pedir pra dormir de novo! O pai, que tirou folga também pra resolver assuntos da nossa casa, presenciou essa "moleza" dela e ficou também preocupado e concordamos então de levá-la novamente na emergência pra ver se algo havia mudado. Ela saiu de casa chorando dizendo que não queria médico e fazer furinho não. Mas nem pra chorar ela tinha força ou expressão e ela saiu com o pai chorando e eu fiquei em casa chorando também.

Fiquei sozinha com os dois, afinal iria colocá-los pra dormir e poderia descansar. Aparentemente fácil né? Rodrigo vomitou antes de dormir e Luisa fez um coco liquido que quase competiu com a Lagoa Rodrigo de Freitas, mas com ela mergulhada dentro e foi aquela confusão: Dar banho em Luisa, ainda bem que o pai tinha chegado pois foi cuidar de limpar o colchão e Di, lavar o lençol. Tudo isso às 3 da madrugada...

Na sexta fui trabalhar, senão voltaria lá apenas pra assinar minha demissão e dessa vez, tive que deixar os 3 em casa com nossa empregada Ana e a tia Di... E tudo na mesma... No sábado, Natália acordou mais "acordada" e de tarde ficou bem espertinha com a visita da avó Marly. Ensaio até brincar um pouquinho no parque mas faltou força. Os outros dois continuavam aprontando muito, comendo muito e apenas com diarréia...

Domingo finalmente Natália acordou bem, as pintinhas sumiram e as fezes voltaram ao normal. 7 dias! Que isso não se repita tá Deus? Os outros dois não se abateram em nenhum momento, apenas ficaram "desarranjados" na linguagem popular.

Hoje posso dizer que minha vida voltou ao normal. Foram todos pra creche sem nenhuma intercorrência e eu trabalhei em paz e mais animada. Até aqui nos ajudou o senhor e que ele continue abençoando! ufa! Vocês devem ter cansado, mas eu precisava dividir essa semana com alguém. Decidi que seria então com todos! rsrs Boa noite mamis que nos acompanha e como eu digo: Coragem sempre!


segunda-feira, 19 de março de 2012

Quem canta os males espanta


Lembro que muitas vezes babei ao acompanhar os trigêmeos da mamãe Chris e ficava encantada com os vídeos que ela postava dos 3 cantando. A impressão que eu tinha era que eles eram muito novos para estarem nesse estágio de desenvolvimento e que demoraria séculos para os meus fazerem iguais proezas.

Como eu não tenho a mínima pretensão em ser perfeita, admito que estava redondamente enganada. É isso mesmo. Com dois anos eles já são capazes de mostrar suas habilidades musicais através do canto. rsrsrs

Meu povo aqui tá cantando tudo. IMPRESSIONANTE como eles sabem toda a letra da canção! E o repertório é extenso. Me surpreende dia após dia. A diferença é que os mosqueteiros da Chris cantavam músicas músicas, rock inclusive. Até porque conviviam com isso uma vez que é o som que os pais curtem. No meu caso é difícil ouvir música por aqui pois meu gosto com o de Roberto são extremos e então a gente aprecia nosso som no carro, com fone de ouvido ou algo do tipo, sem falar, que desde o nascimento do trio, músicas só do estilo Galinha Pintadinha, Aline Barros e Cia, Backyardigans, Balão Mágico, Barney e por aí vai. Então são essas músicas que fazem parte do repertório deles, mas tá valendo também.

O único hit do momento não infantil que eles aderiram foi o "Ai se eu te pego". kkk engraçadão.

Sei que é um tal de Boi da cara preta, o sapo não lava o pé, O sapo cururu, atirei o pau no gato, galinha pintadinha e outras tantas que vai dar trabalho relacionar. Os TRêS sabem a letra toda, mas no momento a Natália é a que melhor pode ser compreendida. Rodrigo canta muito timidamente e sai tão baixinho que muitos não entendem e Luisa tem um ritmo próprio que acaba mascarando a música. Eu brinco que ela canta o Boi da cara preta na versão sertaneja pela entonação que ela dá aos versos. rsrsrs

Sei que até subindo a escada para dormir ontem eles me aparecem com mais uma novidade: Os três em coro: "A mão no corrimão, se cair bumbum no chão" e isso se repetiu até chegarem no andar de cima. Como eu nunca ensinei isso a eles, presumo que aprenderam na escola e tudo em forma de música: Subindo a escada e cantando.

Muito bom tudo isso. Eu confesso que afinada ou não eu adoro cantar e portanto esses daí tiveram mesmo a quem puxar. Cante bem ou cante mal, o importante é extravasar.

E é isso aí, meus pequenos estão crescendo, eu os amando ainda mais, fascinada com tanta mudança e já com saudade de tudo que passou. Torcendo que esse momento mágico congele pra que eu possa extrair ao máximo toda essa alegria que só os filhos são capazes de nos proporcionar!

terça-feira, 13 de março de 2012

Em Dívida...





Minha gente, nunca me ausentei por tanto tempo do blog, tô inclusive com vergonha. Meu dia é cronometrado e os imprevistos não páram de aparecer e desregular tudo. Tanta coisa que eu tinha pra contar que vou ter de resumir. Só pra não deixar de mencionar.

Gostaria de dizer que as crianças estão crescendo e se tornando ótimas companheiras de passeios. TOPAM TUDO MESMO e com muita disposição. Toda a paciência e disposição deles foi testada nesse carnaval que fizemos de tudo UM muito. Saíamos de manhã e voltávamos à noite e eles sempre acordados e felizes! Programas que além dos shoppings, supermercados, restaurante como de costume, acrescentamos ainda CRISTO REDENTOR, ZOORIO, Treino do Vasco em São Januário e já nem lembro mais o que.

Mas como nem tudo são flores, estou passando por uma fase bem difícil aqui com as brigas constantes dos três. Sei que é super comum, afinal eles disputam atenção, brinquedo, espaço, comida, tudo! E então vivemos aquele lance de amor e ódio constante e isso estressa um pouquinho. Estou aqui pra falar a verdade não é mesmo?

No mais, seguem bem espertos, arteiros e mais lindos. rsrsrsrs




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Trio Radical






AMO e sempre amei festa de criança. Mesmo antes de ter filhos já pensava assim. Sempre comentei brincando que festa de criança é que era festa de verdade, pois tinha brigadeiro e alegria de sobra! Com as crianças, passou a ser mais um momento que proporcionava diversão para toda a família. Acho que todo pai gosta de levar o filho em festas dos amiguinhos pois eles curtem, interagem, lancham, cansam e a gente tem uma trégua, mas com 3 então acho que é um programão.

Fomos a vários aniversário infantis com eles, mas lembro bem que eles começaram a gostar de fato no segundo ano da amiguinha Pietra. Eles tinham 1 ano e 5 meses e aodraram comer brigadeiro de colher, gostaram de ver inúmeras crianças e toda aquela decoração. Mas ainda não entendiam muito bem a animação e não interagiam tanto.

Aí vieram outros tantos e virava uma espécie de parquinho. Eles

Depois foram adquirindo habilidades e a cada festa um apoveitamento melhor. As que tem brinquedo então são o sucesso da diversão. Esse domingo que passou, fomos na festa da Ana Clara, primeiro pra prestigiar minha amiga do trabalho e depois pra levar as crianças pra se divertir. Vira um programa de família. Eles brincam, eu e Roberto conversamos e lanchamos e no fim ficamos todos cansados e felizes e dormimos a noite toda!!! kkk

Bom, então, concluindo a narração sobre a festa: Fomos ao aniversário da Ana Clara, num domingo à noite, após passarem o DIA inteiro correndo, brincando, lanchndo na casa da Tia avó Di. No caminho da casa de festa, eles cochilaram no carro, pensei que não seria como queríamos pois eles estavam cansados e iam chorar na festa, mas encaramos mesmo assim.

Chegaram na festa dormindo, mas não precisaram que mais do que 2 minutos pra despertar e se ambientar. Logo estavam interceptando as garçonetes para comer uns salgadinhos e tomaram conta da área baby, que serviu de ambiente para o aquecimento.

Pouco depois estavam nos demais brinquedos, participaram da recreação e das atividades propostas pelas animadoras, marcaram ponto no lanche das crianças comendo TUDO que foi servido desde cachorro quente ao sorvete no final e bastou eu dar às costas e ao voltar me deparei com a Luisa sendo arremessada pelo "tio" no Big Jump, vide foto.

Enfim, esse trio está radical e curtindo tudo. Que bom. Assim ficamos todos felizes e que venham mais festas!!!



segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Menino x Menina



Como citei no post anterior, nós mamães de filhos da mesma idade e diferentes sexos, temos mais um impasse na educação: como separar os sexos sutilmente? Acho errado simplesmente fazer algo pra um e justificar para o outro que este não pode por ser do outro sexo. Mesmo porque pequeninos eles não sabem o que significa ser menino ou menina. A maldade está em nossas cabeças (dos adultos).

Interessante é que li recentemente uma reportagem falando de um casal britânico que criou seu filho como sendo de um "sexo neutro" para não impor leis da sociedade pra ele e revelaram o "segredo" do sexo do menino após 5 anos, após o mesmo ingressar na escola...


Fala sério, desculpa a força de expressão e minha ousadia em querer avaliar a situação, mas assim também pra mim é maluquice! Eu aqui não vestia Rodrigo como menina nem vice-versa, mas também não o repreendia em situações em que ele participava com as irmãs de brincadeiras até então rotuladas de coisas de meninas. Exemplo: nunca comprei uma boneca pra ele, mas nunca o repreendi quando pegava alguma da irmã que estava na caixa de brinquedo e colocava pra dormir, assim como faziam as irmãs e nós mesmo com eles. Pelo amor de Deus, ele tinha menos de 1 ano, ao invés de discernir diferenças sexuais, a criança ficaria frustrada.

Um dia comprei uma porção de enfeites de cabelos para as meninas e nada pra ele e cheguei em casa fazendo a festa e ele olhando: tipo: e eu, não ganho presente não? Com 1 ano de idade deveria eu cobrar dele entendimento que aquelas coisas se tratavam de adornos femininos e que, portanto ele não tinha direito? Não eu, coloquei uma presilha no cabelo dele também e depois que ele esqueceu, tirei. Alguns pais jamais aceitariam tal situação. Meu marido mesmo não é muito feliz e nem concorda comigo totalmente em relação a estas questões, mas acredita que eu estou certa e por ora está permitindo que eu tenha o controle da situação sem maiores intervenções. rsrsrs

Até citei uma situação também anteriormente que serve de exemplo pra esse assunto: no período de adaptação das crianças na escolinha, existiram momentos em que as meninas iam pra aula de ballett e os meninos ficavam na classe fazendo atividade com a tia. Eles estavam se ADAPTANDO como o nome mesmo diz a nova situação, novo ambiente, novas pessoas, separação da mãe, da casa e ainda por cima eu ia obrigar que fizessem distinção de sexos e separasse Rodrigo das irmãs porque ballett é coisa de menina? Então não seria eu. Primeiro porque ballett NÃO é coisa de menina e segundo porque ele não sabe o que é ballett, é uma dança e ele adora dançar.

No momento certo ele mesmo iria perceber que apenas as meninas fazem ballett e os meninos brincam de carrinho e optaria por brincar de carrinho que "é mais maneiro". Mas isso no momento certo e escolhido por ele. Acho inclusive que ele nem vai mais às aulas de ballett e na apresentação, se apresentaram apenas as meninas e ele não se incomodou.

Lembro que já maiorzinhos, quando eu enfeitava o cabelo das meninas, já não mais colocava adereços no cabelo dele, mas meu argumento não fazia referência ao sexo. Apenas dizia que ele cortou o cabelo e que cabelo cortado não precisava de enfeites. Eu falava: "Didigo foi no salão e o moço cortou o cabelo lembra? Suas irmãs não, então elas precisam prender o cabelo, o seu não, que já tá cortado, arrumado e lindo!". Também não sou daquelas que alimenta tudo como sendo natural, sei que há diferenças, apenas vou aplicando quando achar que já há entendimento para tal ou se achar que a situação trará prejuízo para eles. Lembrando que tudo explicado e não simplesmente imposto: AZUL é de menino e ROSA é de menina e ponto! Quem determinou isso?

Sei que depois que eles entraram na escolinha, alguém disse a eles e eles aceitaram que algumas coisas são de meninas apenas. Já que já foi dito e aceitado, eu confirmo. Exemplo: pintar unha e passar batom. Mas então pra que diabos serve ser menino então? Nesse exato momento ele não tá tendo vantagem nenhuma com sua condição e portanto, evito tais comparações. Não sei como vocês agem. Deixo minha dica e aceito complementações. Tenho certeza que muitas mães vão se identificar com o post, vão comentar e muitas usufruir das dicas que serão somadas.

Beijos e até breve!

P.S.: Para os que nos acompanham e estão curiosos com a surpresa que prometi no último post é o seguinte. Na mesma semana que minha empregada me informou que não mais poderia vir aos sábados, antes mesmo que eu começasse minhas buscas pela sua substituta, minha antiga empregada, a que iniciou comigo na Bahia antes mesmo de as crianças nascerem, veio comigo para o Rio até que eu me estabilizasse e voltou pra Bahia em agosto, veio ao Rio à passeio e resolveu prolongar essa estada e vai voltar a trabalhar conosco. Nada melhor que alguém que já conhecemos, confiamos e melhor ainda, conhece, gosta muito e cuidou dos nossos filhos. Sou ou não sou sortuda? Energia positiva atrai o positivo e graças a Deus, a forma como eu levo a vida, têm feito ela se desenrolar da melhor forma possível pra nós. Só tenho a agradecer.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Tudo Junto

Estou devendo notícias faz tempo não é? Não darei as desculpas manjadas como falta de tempo, pois apesar de estar bastante assoberbada ultimamente, sempre achamos um tempinho. Mas eu estava cansada mesmo e aí, pelo menos comigo, nem rola disposição pra nada. Nem pra bater papo, mesmo que escrito! rsrs

As crianças estão bem, com gracinhas diárias e agora com garganta inflamada. Nada que mãe já não esteja acostumada. É ministrar antibiótico e contar os dias para acabar. A última gracinha que eu me lembro foram eles (principalemente a Luisa) imitando os animais. Um dia desses a Luisa começou no carro: "Mãe, o macaco faz uú, aá". Eu que estava dirigindo no caminho da escolinha, com horário pro trabalho, de manhã ainda com tico e teco preguiçosos, não entendi. De tarde, ao buscá-los ela repetiu e continuou: o auau faz: "áuáu" e eu então, comecei a testar até onde iam seus conhecimentos dos animais. rsrs E perguntei e o gatinho filha, como faz? Ela respondeu "miau" e nisso os outros dois já estavam lá falando e repetindo ao mesmo tempo o som dos animais. Um verdadeiro zoológico e uma farra dentro do carro! kkk E nisso foi o macaco, o cachorro, o gato, o leão, o passarinho e sei lá mais o que.

Outra nova não muito boa foi que minha empregada, totalmente excelente, não pode mais trabalhar aos sábados (e olha que ela ia, mas ia embora 13h) e como eu trabalhos aos sábados agora, fica o pobre coitado do pai sozinho por 7h sem nenhum tipo de assistência. Ela não ajudava com as crianças, mas deixava a casa em ordem, fazia a comida e servia ele, arrumava a cozinha e depois saía. As crianças dormem depois do almoço e logo logo eu estava em casa, coincidia com o horário que elas acordavam, tudo cronometrado, mas agora FORA DA ORDEM! Mas como eu me considero iluminada, mais uma coisa aconteceu em seguida desta novidade, que eu vou acertar hoje e só depois conto pra vocês. Ao que me parece, caiu do céu a solução para este problema, que ao meu ver, não poderia ser melhor. SEGREDO!

Como estamos falando de tudo, o que foi aquela mãe de Taubaté? Gente fiquei passada, sem palavras mesmo. Constrangido pela situação, mas tem doido pra tudo. Deve haver uma explicação e não cabe a nós julgar, mas que causa espanto, ô se causa!

No mais é isso aí: essas crianças pensam que são gente grande: já escolhem roupas e acessórios, pedem batom e pintar unha! Afff. "Peruisse" Esporte Clube. Bem que tiveram a quem puxar. É um tal de "Ête não e ête atí" que é uma beleza! Um dia desses eu coloquei uma tiara (arco, passadeira...) na cabeça da Luisa e outro no da Natália, combinando com suas respectivas roupas e Luisa retrucou: "Ête não mãe" Eu tentei convencer que aquele era da cor do vestido dela e que estava lindo e ela respondeu "Téio da Taruga" (quero o da tartaruga) e eu disse que não tinha, que era aquele e pronto e ela disse: "tá na pia mãe" e foi caminhando em direção ao banheiro, apontou pra cima da pia, onde tem uma caixa que eu guardo TODOS os arcos e então eu não pude fazer nada, tinha sim um arco da tartaruga e foi aquele que ela usou naquele dia. Eu mereço.

O Rodrigo não pede batom nem acessórios pois é "coisa de menina" e ele já sabe e nem questiona. Não era assim que eu queria explicar. No comecinho eu dava outras explicações pra ele ter tratamento diferente, mas foram esgotando as alternativas e eles mesmos vieram com essa explicação (devem ter aprendido na escola) e como aceitaram, eu deixei. Mas que não é o mais certo, ainda acho que não é. O pai mesmo falou uma coisa: Ele deve achar que ser menino é
uma merda, pois não pode nada (pois ele tem as irmãs pra comparar e está sempre em desvantagem). Não pode brinco, não pode batom, arco, vestido, blá blá blá. Como já me estendi muito nesse post e mudei de assunto muitas vezes, vou deixar esse tema pra depois, pois acho que deve ser algo recorrente para nós mães de múltiplos de sexos diferentes termos que lidar.

Beijos para todos e espero administrar melhor meu tempo e ficar menos cansada pra dividir mais as novidades sem ficar ausente tanto tempo como dessa vez. Bom fim de semana pra todos.



quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Ganhar dindin

Minha gente, ser mãe é mesmo uma maravilha né? Acompanhar o desevolvimento dos filhos então é uma realização. Esse meu povo aqui anda assimilando tudo o que se passa ao redor e ainda por cima reproduz.

Eles sempre se acostumaram com o pai trabalhando, perguntavam pelo pai e a gente dizia que tava trabalhando. Quando eu comecei a trabalhar, eles relutaram mais em aceitar, pois não era comum. As vezes a Natália dizia: "Mamãe baiar não!". Depois foram se acostumando e um belo dia eu falei, como se tivesse convencendo que trabalhar era uma coisa boa, "mamãe vai trabalhar, vai ganhar dindin e assim pode comprar brinquedo pra Luisa, Natália e Rodrigo" e pronto. Não sei se porque interessava a eles essa história, eles absorveram a informação e agora dizem a todos que "m a m ã e s a i u p r a t r a b a l h a r, g a n h a r d i n d i n e c o m p r a r p r e s e n t e". Não sei se o que senti com essa reprodução foi extremo orgulho pela inteligência ou vergonha pelo que foi ensinado. kkk Agora eles perguntam: " Cadê Papai?" A gente diz: "tá trabalhando" e a Luisa prontamente devolve: "pra ganhar dindin né mãe?" ó céus.

Outra coisa impressionante que a Luisa fez ontem que tem a ver com essa inteligência que me referi anteriormente. Ontem ela perguntou pra mim: " Mãe cadê ôta vovó?" (o outra vovó já é interessante, pois ela deixou claro que não é aquela que ela vê sempre, ela estava se referindo à minha mãe) e eu disse, tá em Salvador filha, bem longe e ela falou imediatamente: "Tem di pedar vião, mãe?". Meu Deus, lugar longe tem que pegar avião ou ela lembrou que viu a avó no início do mês, depois te termos viajado de avião? Bom, qualquer que seja a associação que ela fez, não deixou de ser fascinante pra mim o raciocínio que esse pequeno ser de 2 anos e 4 meses foi capaz de fazer!

Aiai minha gente. Eu não sou o Mac Donalds, mas amomuitotudoisso! Essa semana TiNanda tá dando duro aqui e os afazeres estão menores pra mim, é muito bom ter ajuda hein? Sábado ela está indo, para nossa tristeza, mas quem sabe ela não tenha gostado tanto e resolva vir morar aqui?

Vou indo, tenho que trabalhar, mas vim compartilhar as últimas com vocês porque eu não podia deixar passar batido essas gracinhas desse meu povo!

P.S.: Outra da Luisa: manda ela cantar e ela começa: "Dilisha, dilisha (delícia, delícia), ai ai ai ai (ai se eu te pego...). Onde ela aprendeu eu não sei, mas agora que já aprendeu, estamos incentivando. kkkkk