quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Adaptação parte I

Então que chegou a parte que todos queriam saber! Uhu!!!
Bom, a adaptação dos 3 à mudança foi muito boa. Apesar de ser um país diferente e beeeeem distante (eles não tem a noção de quão distante é e eles já moravam distante de uns parentes, do meu lado da família, então pra eles foi como estar longe das duas partes e basta pegar um aviãozinho e tcharam: estamos ali! Então essa parte não foi sofrida). Eles não sabem que trabalhamos e não podemos pegar esse aviãozinho a qualquer momento, não sabem que a viagem no total leva de 14 a 30h pra chegar ao destino a depender das escalas, não sabem o preço da passagem, enfim, os problemas deixamos para os adultos. Rsrs
Idioma diferente. Não sofreram esse impacto também pois não foram expostos de vez ao mundo italiano. Ficamos uns 5 dias em hotel, pai e mãe resolvem tudo, nada de escola ainda, eles iam vendo umas palavras picadas em italiano e nós íamos traduzindo para eles. Quando iam de fato para a rua e alguém falava com eles, eles ficavam mudos. Simples assim. Gente, o universo infantil é tão menos complexo, eles resolvem as coisas com naturalidade e somos nós adultos que complicamos pois as vezes sofremos com antecedência. Mas eu não sou muito adepta ao comportamento do Peru em sofrer de véspera não; E assim vou levando, buscando olhar sempre o lado bom de tudo e meus filhos herdaram essa genética de mim. rsrs
Frio: saímos de um verão rigoroso do Rio de Janeiro para um inverno rigoroso da Itália. Não é uma Noruega ou Canadá, mas faz bastante frio. Foi uma mudança climática radical. E eles, mais uma vez tiraram de letra. O pai ficou doente e eles não. Depois de 30 dias foi que deu uma entupidinha no nariz das meninas, dei um anti -alérgico de uso continuo que eles usavam no inverno do Brasil e resolveu. Eu não preciso dizer que não tive nada né? Esse sistema imunológico aqui é Power! Kkk Voltando aos 3 e ao frio: apenas demonstraram desconforto em ter que vestir os casacos. Mas também durou uma semana. Eu colocava aqueles casacões que se compra aqui mesmo e próprio para o frio daqui e as meninas não queriam vestir. Rodrigo nem ligou mas Natália perturbou porque não queria usar mas ao sentir na pele a emoção do frio, ela que é mais friorenta, entendeu a necessidade e aceitou bem. A Luisa até hoje briga querendo tirar o casaco dela. Ela põe pra chegar no carro e já no carro quer tirar. É uma agonia! Passei a colocar um pijaminha flanelado nela por baixo, depois coloco mais umas duas blusas de manga comprida e no final um casaqueto leve e ela gosta. Ela não quer o grandão, aquele de ir para o polo norte. Rsrsrs Mas no fim, não sei se teimosia ou se ela sente menos frio mesmo, mas ela usa menos casaco que todos e não reclama do frio não. Então tá bom, deixa assim. Andamos viajando nos fins de semana. Estamos conhecendo bem a vizinhança, daí pegamos umas temperaturas ainda menores e comprei um gorro pra elas. Rodrigo não quis, mas usa o capuz do casaco e aceitou uma luva. Fui dando um jeitinho aqui e outro ali de cercar eles com cuidado sem sufocar. Ou seja, o problema não foi o frio. Nunca reclamaram do frio. O problema é se vestir para o mesmo. Rsrsrs Criados nús no Brasil né? Faz parte.
Comida: Também não reclamaram de nada, aliás, eu não sei se eles reclamam pouco mesmo ou se eu não dou margem a reclamações, mas acho que é um pouco de cada. Aqui é diferente sim. Não tem feijão com arroz nos restaurantes com muita facilidade, farinha com pimenta então nem pensar. Tem para vender no mercado e a casa é nossa, fazemos o que quisermos, depois que estávamos melhor alojados, fizemos feijão, arroz, carninha moída do jeitinho que eles gostam, mas no início, nos restaurantes da vida, era mesmo macarrão. Se dependesse dos italianos, no café da manhã, almoço e janta. Só mudava o molho e o formato do macarrão. Kkkk Como as crianças estavam acostumadas a fazer 4 refeições na escola, com cardápio de nutricionista, foi diferente sim, mas não diferente para ser ruim. Apenas diferente. Eles gostam de macarrão, então tá tudo beleza. Rodrigo desde o início amou. Kkkk
A comida na verdade dá um pouco de trabalho para mim agora pois eu tenho que fazer todas as refeições deles. No inicio então eram todas mesmo. Agora que eles almoçam na escola, eu faço apenas o lanche e a janta e aí fico naquela de tentar variar, agradar e buscando a praticidade também. Sim, porque objetividade e praticidade dentre outras, são palavras de ordem nessa casa.
E bebida? Essa foi um impacto maior pra mim, mas tudo bem. Aqui não tem a variedade de frutas que nós temos no Brasil. E os restaurantes não costumam ter suco da fruta. Mais comum achar de laranja. Eu e as crianças não bebemos refrigerante, graças a Deus. Eu estava evitando ao máximo os Sucos Néctares da vida pois são repletos de açúcar. Então no Brasil eu vivia de água e água de coco e as crianças de água e suco de uva. As vezes eu comprava os Dell Valle mesmo, pro fim de semana e durante a semana, os sucos de uva integrais, sem adição de açúcar. A depender da marca nem era necessário adicionar o açúcar em casa. Aqui não achei suco de uva nenhum. Nem tipo néctar. Pra ter o que oferecer a eles, andei comprando uns sucos de caixinha aqui. Comprei Frutas Vermelhas, que deveria ser parecido com uva... as meninas gostaram, Rodrigo não. Aí peguei de Mirtillo. Ninguém gostou. Maçã: só Luisa gostou. Achei uva, mas era uva vermelha: só as meninas gostaram. Ontem achei um de banana. Pensei: vai ser sucesso, todos comem banana! Só a Luisa gostou! Kkkkkk Eu e o Rodrigo no momento só bebemos água. Quando eu encontrar algo interessante de beber por aqui aviso a vocês.
Por último: a casa. A casa não preciso muito entrar em detalhes. As crianças se mega adaptaram. Nem parece que mudaram de casa. Se sentiram à vontade desde o primeiro minuto. A casa é bem parecida com a do Brasil. Tanto em estrutura como nos ambientes por dentro. Tem 3 andares, eles dividem um quarto, com 3 camas de solteiro, que ficam juntas e eles acabam dormindo todos juntos um por cima do outro, acharam diferente porém amaram que o banho aqui é na banheira e nos primeiros dias sentiram falta apenas da tv, mas problema que eu não demorei muito a resolver. Comprei logo uma e coloquei no quarto deles e agora comprei a minha. Rsrsrs A da sala, só quando a mudança chegar.
No mais é isso, como esse é um capítulo muito longo e cheio de detalhes, deixo a parte da adaptação da escola para o próximo capítulo. Até Breve.  Segue fotinha de uma das viagens, só pra ilustrar! ;-)

3 comentários:

Érika Scandura disse...

Que bom que as meninas gostaram dos sucos! Rs! Estou percebendo que está tudo bem, aposto que tudo só irá melhorar! Beijos

Tatiana Rodrigues disse...

Eba! Que delícia! provar coisas novas, saber o que gosta e o que não gosta e aos poucos adaptar o paladar! Eita experiência edificante!
Adorei a postagem e aguardando a próxima! :)

Dinda Ana disse...

Que coisa boa amiga! Vc não imagina como fico feliz ao confirmar que a adaptação está sendo ótima e todos estão muito bem. Vcs são maravilhosos, esse trio lindo nem se fala, nenhuma surpresa para mim!! A sua postura e atitude de encarar tudo sempre de forma tão bacana reflete neles. Vc é quem viabiliza tudo isso! Estou ansiosa pelos detalhes da Escola, fotos deles lá, etc. Era um dos temas que mais aguardava notícias. Beijos em todos, saudades da bagunça de vcs aqui em casa conosco :)