quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Fim de SemanÃO - Parte II



Eu fiquei de postar sobre a festa que fomos no sábado. Além da festa específica, vou voltar um pouquinho no tempo para aproveitar e lembrar o comportamento dos meus três quando na presença de muitas pessoas diferentes.


Achei interessante e relevante tocar nesse assunto por ter percebido tamanha mudança de comportamento deles frente a situações inusitadas. Sempre desejei ter filhos “despachados” e jurei que não iria mimar crianças pois não queria podar sua criatividade e liberdade. Decidi que criaria meus filhos sem frescura e assim o faço. Saio desde sempre com eles principalmente para restaurantes e shoppings por serem lugares comuns à nossa rotina de antes e faz parte da nossa hora de lazer. Também em 1 ano e 3 meses de vida já viajei com eles 3 vezes para o Rio de Janeiro, afinal toda a família paterna está lá. Nunca fui de criar dificuldades e deixar de viver por causa deles. Optei por viver COM eles.


Porém talvez eles saiam bem menos que crianças únicas, pois saímos com bastante freqüência nos finais de semana, quando o pai está presente. Nunca fui de sair muito sozinha com os três. Apenas para o pediatra, para dar vacina, para tirar foto com papai Noel no primeiro ano, que eu escolhi ir num dia de semana à tarde cedinho, por ser mais tranqüilo e, com isso, não podia ter o pai presente. Mas minhas duas acompanhantes “nossa de cada dia” vão sempre comigo. Então apesar de eu não ter frescura e encarar os desafios, bem ou mal, eles acabam saindo menos e sendo diferente do que criar filhos únicos ou um de cada vez.


Também sempre morei em lugares tranquilíssimos, primeiro na beira da praia onde só ouvíamos o mar à noite e nada de dia. No condomímio não haviam crianças e o único barulho que eles escutavam eram deles mesmo. Perto de eles completarem 5 meses, mudei para uma casa maior, num lugar mais reservado, e dessa vez nem o barulho do mar escutamos. Nada mesmo. Após um ano morando aqui é que fui conhecer um vizinho e sua esposa. E mais uma vez nada de crianças. Zoada zero. Isso fez com que eles se acostumassem com o silêncio e uma rotina caseira. Acordava, comia, brincava, via desenho, tomava banho, almoçava, cochilava, acordava, brincava mais um pouco, lanchava, mais um desenhosinho, banho para resfrescar, janta, mamãe e papai juntos com eles para brincar até a hora de mamar e dormir. Essa rotina só mudava nos fins de semana, mas ainda assim, para shoppings e restaurantes e eu respeitava o horário do sono deles e só saía depois que eles acordavam, para que eles saíssem dispostos.


Isso gerou um estranhamento por parte deles a aglomeração de pessoas e zoadas. Lembro de umas experiências meio “traumatizantes” por conta disso. Na comemoração de três meses deles foi uma multidão lá pra casa, fiz doces, salgados e bolo, chamei familiares e amigos. Não consegui ver ninguém. Passei a noite no andar de cima tentando acalmar as meninas que choraram o tempo todo até que a última pessoa foi embora e elas conseguiram dormir. Tivemos o aniversário da amiguinha Pietra, o primeiro aninho dela e os meus estavam com 5 meses, Luisa chorou da hora que chegou até a hora de ir embora. Fiquei menos de uma hora no aniversário. O batizado, aos 6 meses e meio foi a mesma coisa. Dessa vez fiz de dia, as babás estavam conosco e a casa era enorme, mas não adiantou. Eles comeram fora de hora, dormiram fora de hora, viram um monte de estranhos e mais chororô. Foi assim aos 9 meses em festa que minha sogra fez no Rio de Janeiro para a família carioca e menos um pouco no primeiro ano que eles choraram menos, mas também não ficaram muito à vontade. Depois disso demos uma pausa nas multidões. Além deles se estressarem muito, nos cansa muito também.


Esse ano fui avisada da festa de Pietra com quase 2 meses de antecedência e fiz disso um acontecimento. Esperei ansiosa como se a festa fosse minha. Queria muito levá-los numa festa infantil agora. Agora que andam, brincam e interagem com os outros. Não podia permitir que o meu cansaço privasse eles de desenvolverem o lado social. Até porque eu já sou sociável demais. Rsrsrsrsrs Talvez eu devesse ter estudado relações públicas.


Enfim chegou o dia da festa. Seria à noite, mais um agravante, pois de dia tínhamos duas ajudantes e de noite nenhuma. Seríamos dois adultos para três “pintões”. Kkk Isso significaria passar da hora habitual de dormir, fugir da rotina, ai meu Deus, o reveillón foi bom, será que se comportariam assim também¿ Vamos ver.


Chegamos lá e não deu outra: Colocamos os três no chão, que a princípio ficaram parados olhando para tudo. Esse estado de transe durou bastante tempo e o primeiro a tomar iniciativa de desbravar aquele lugar foi o Rodrigo. Disparou, se infiltrou no meio das outras crianças que participavam da recreação infantil da festa e lá estacionou. Olhava para um, para outro, passava a mão do cabelo da vizinha, depois da outra, foi mexer na decoração da festa (que estava linda por sinal) e ficou à vontade.


As meninas continuaram em pé, observando, sem choros, mas também não se distanciaram de mim. Aí eu sentei no chão, onde estava acontecendo a recreação, literalmente no meio das crianças para incentivar elas a sentarem também. Deu certo. Com isso lá estava eu brincando de “o cacique mandou”, “vivo morto” entre outras que nem lembro. Kkk Em pouco tempo Luisa estava descobrindo as outras crianças, os enfeites coloridos e a mesa de guloseimas que eu tive um esforço para tirá-la de lá. Natália relutou mais em se soltar, mas não reclamou e participava de tudo que eu estava perto. Depois de muito tempo fui saindo de perto dela e ela nem percebeu, havia feito um amiguinho e se distraiu, mas já foi lá pro fim da festa.


Como eu não imaginava que seria tão fácil e prazeroso para ambas as partes, imaginei que às 21h estaríamos em casa para a última mamada antes de dormir, mas eles estavam tão entretidos com as novidades e nós orgulhosos e deliciados com aquele momento que não fomos embora. Então eles beliscaram um pãozinho delícia e um brigadeiro para esperarem mais um pouquinho.
Assistimos a peça do lobo mau e os três porquinhos, todos exemplarmente sentadinhos e quietinhos (com a exceção de um momento que Rodrigo queria atuar na peça e foi lá pra frente sendo quase atropelado pelo lobo mal e o pai tirou ele de lá para não atrapalhar a peça. Kkk), depois foi a hora dos Parabéns e só então fomos embora. Voltamos para casa felizes, ninguém chorou hora nenhuma, nem reclamou e nem precisamos ser expulsos da festa por excesso de baderna. Foi tudo muito bom. Chegaram em casa satisfeitos, com as baterias esgotadas, comeram e dormiram a noite todinha. Ainda no domingo pela manhã eles estavam cansadinhos da festa pois o cochilo não esperou a hora do almoço e durou bem mais que 40 min. Eles dormiram quase 2 horas. De 11 Às 13h.


Porque não fazem festa para irmos todo fim de semana¿


Fato é que agora eles já curtem certos tipos de eventos. Com cores, bichinhos, doces e crianças; não tem erro. O barulho e multidão não os incomodaram pois o lado positivo que os entretinham era maior que o que incomodava. E ninguém se importou de passar da hora de dormir para este fim. Fiquei feliz pois fizemos um programa diferente para todos nós, nos divertimos e percebemos que estamos num momento de transição. Mudança para melhor, rumo a interação, independência e curtição!!!

5 comentários:

Nanda disse...

Parabéns pelo seu trio! Minha pequena veio pra casa com 2kg, e eu quase não saía com ela. Viajamos pro nordeste quando ela tinha 3 meses pra batiza-la, e o calor do sol junto com o calor humano de toda a família que veio em massa visitar a primeira bisneta depois de 15 anos sem bebês em casa, foi demais pra ela! Chorava inconsolável por horas, até que eu me trancasse no quarto, desse banho, colocasse o ar condicionado no topo e desse o peito. Hoje virou baladeira, já é experiente com seus 2 aninhos,kkk...
Com o tempo eles acostumam e já nem ligam se a gente está na festa ou não, aiai!

Renata disse...

Que Llegal Paolinha! Fico feliz de ter proporcionado um pouquinho dessa alegria e orgulho de trimae!

Muitas novidades virao!

Eu estou na fase da escolinha. hj foi o 1o dia de aula de Pietra.

Seus 3 se comportaram lindamente e estao por todo o album de aniversario de Pietra..ta lindo!

Obrigada pela programacao e pela presenca vip de vcs!

sao sempre sempre bem vindos. em fim de semana de festa ou nao.

que tal marcarmos um sabado, com direito a churrasquinho(bem simples, claro), piscina infantil(a do predio e' otima), com direito a pula pula(agora eles ja sabem pular!) e casinha de boneca, escorregadeira?

TOPA?

as portas sempre estarao abertas!!!!! e eu vou adorar!

Uli disse...

Isso realmente é muito bom! Desde sempre eu os levo a igreja todos os domingos (eu e marido apenas com os 3)acho que isso ajudou muito. Nos 1°s meses eles iam dormindo e voltavam dormindo, depois quando aprenderam a andar, já não queriam mais ficar no carrinho e desde então fico na área baby com eles assistindo o culto de lá (tem uma TV)e eles brincando. Acho que isso ajudou muito pq aqui tbm quase não tem passeios...eles ficam tanto em casa que resolvi dar uma volta com os 3 a pé pelo quarteirão sempre que a Veronica pode ir comigo.
Mas tbm fico muito feliz quando tenho uma festinha. Ontem mesmo fomos ao niver de uma amigo da minha célula e toda sexta aqui em casa tem reunião, mas quando a turma chega as 20:30 o trio já está dormindo e ontem eles acharam que eu não fosse. Pra surpresa deles eu fui com marido, o trio amou, ficaram super comportados e chegamos em casa as 23h. Muito legal isso, né?

Fabiana disse...

Amei seu post, Paola! Por pouco não nos encontramos na fesinha de Pipi... Rê me chamou, mas tive q voltar antes pra Palmas (moro aqui) e não pude ir...
Peça a Rê pra te avisar qdo tiver encontro de mães, do grupo q participamos (ela prometeu ir no baile a fantasia, agora em fevereiro). Eu não vou (em Palmas, aff), mas a anfitriã é minha amigona e de Rê tb e vc se sentirá super a vontade!
Terá um monte de criança dessa faixa de até 2 anos e seu trio vai se divertir muuuuito!
Fale com ela a respeito e diga q foi Fabi q deu a dica!
BJão, Fabi e Fabinho

Adriana Barretto Bomfim disse...

com ctz q o trio irá se divertir muito no nosso baile de carnaval!
bj