quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Babá

Como a maioria dos nossos seguidores sabem, sempre tive ajudantes pra cuidar das crianças e da casa, afinal minha mãe e pai trabalhavam o dia todo, todo dia e meus sogros moravam longe. Tinha de ser mesmo alguém contratado pra isso.


A princpipio uma que cuidava da casa e ajudava com as crianças, no mês seguinte vi a necessidade da segunda, até mesmo pra cobrir um tempo maior. Enfim, o tópico não é pra entrar em detalhes sobre o funcionamento das babás aqui, até porque já falei sobre isso antes, é só voltar atrás um pouquinho nos posts e acharão também sobre isso.


Esse post de hoje é pra falar da reação das crianças à separação de suas babás. Uma delas esteve presente desde que nasceram e a outra chegou logo no segundo mês, que pra eles é a mesma coisa de tê-la desde sempre. Fato é que eles eram MUITO apegados a elas, afinal elas cuidavam deles desde pequeninos e mimavam sempre com muito carinho. Faziam até mais vontades que eu as vezes.


Elas nunca dormiram com a gente, por um consenso comum do casal, optamos por não ter ninguém em casa à noite, mas até isso mudou nos últimos meses. Com a mudança de estado, elas vieram para o Rio com a gente para ajudarem nesse comecinho de terra nova, até eu ter um pouquinho mais de independência e aproveitaram pra conhecer a cidade maravilhosa, claro.


Apesar de mesmo morando em nossa casa por uns meses, nesse processo de adaptação, ainda assim, ao chegar o fim do dia elas saíam, iam ver novela, ou seja, agiam como se não estivessem ali e eu não queria também abusar e sempre respeitei o horário delas. A não ser que, previamente houvesse um acordo de trocarmos o dia pela noite para eu ir num jogo, jantar ou coisa assim. Quero mostrar que mesmo não tendo elas como empregada à noite, nesse período aqui no Rio, elas moraram com a gente por 4 meses e os laços entre elas e as crianças se estreitaram. Eles as viam de domingo a domingo, mesmo quando elas não trabalhavam ou íam pra rua de folga. Mas sempre que eles acordavam, bem ou mal, as viam na cozinha tomando café e sabiam onde era o quarto delas. De vez em quando iam lá de espontânea vontade visitá-las. Quando Rodrigo aprendeu a abrir portas então, nem se fala.


Eu sabia que elas um dia iam embora, afinal tinham família na Bahia as aguardando, mas combinamos de ir uma primeiro, quando a escola deles começasse e a outra iria depois, em novembro, como solicitado por ela mesma e consetido por mim. No meu ponto de vista, seria ótimo assim pois eles sentiriam menos se fosse uma de cada vez. Mas, para minha surpresa, uns 4 dias antes, a segunda me comunicou que mudara de idéia e iria embora junto com a outra.


Tirando o fato de me deixar na mão sem sequer ter arranjado alguém pra substituí-la e num momento de adaptação na escola das crianças que precisava bastante da minha participação, o que não vem ao caso tratar aqui no blog, me preocupei com a falta que as duas fariam a eles. Além de não mais aparecerem, não estaria mais na cozinha tomando café ou no seu quarto como costumava ser. Sofri de véspera e cedo demais.


Para minha surpresa, eles não só levaram numa boa, como se nada tivesse acontecido, como também aceitaram a nova empregada numa boa. (o que eu achei que também seria difícil). A impressão que dá pra mim é que eles se contentaram com a troca de uma babá pela outra, parece até gente grande. Cuidado pretendentes: pra eles rezará a lei da FILA ANDA. kkk


Talvez tenha sido por conta das diversas mudanças. Eles passaram a frequentar um ambiente novo todas as tardes, com um mundo de TIAS cuidando e paparicando eles. Uma infinidade de amiguinhos. Uma nova tia em casa (a empregada nova agora é tia). Aliás, TODO MUNDO agora é titia e titio (como usado na escola). ENGRAÇADÍSSIMO. A moça da pipoca é titia, o porteiro é titio e por aí vai.


Eu achei que tais mudanças o fariam estranhar mais, mas ajudaram. Pra ver que as coisas são imprevisíveis e não adianta a gente fazer muito plano, muito menos sofrer de véspera. Mais uma lição a ser aprendida. Assim como eu não esperava ficar sozinha de repente, não imaginava que seria tão fácil. Lógico que estou trabalhando bem mais e sobra muito pouco tempo, reduzindo minha liberdade, mas é um trabalho mais prazeiroso e o que é melhor, estou dando conta e meus filhos estão mais felizes que nunca.


Outra coisa a favor foi a chegada de um novo vizinho com duas crianças pequenas. Todo dia saio com três e ficamos eu, a babá dos meninos e os 5 misturados. Nem sempre brincam juntos, pois são de idades diferentes, mas já distrai ver mais crianças, ver brinquedos diferentes, estar na "rua". Até a babá dos meninos é uma tia nova. Eles chamam por ela e pedem coisas a ela. Eles entendem como tios pessoas que os ajudam. kkk Se der algo pra ele, ou se for conhecido é tio e tia. O porteiro, que já é conhecido é tio, o pedreiro do vizinho é "uomi" (o homi, o homem) pois é um estranho. Essas crianças me aparecem com cada uma... kkk


Pra avariar emendei um assunto no outro e falei demais. De babá passei pra titias, mas uma coisa puxou a outra e a idéia primordial foi transmitida. Há 20 dias sem as duas aqui e eles nunca choraram e não demonstraram falta. No primeiro dia perguntaram e eu falei que foi embora. Foi pra casa dela. No segundo dia pergutaram apenas e eu dei a mesma resposta. Aceitaram e não perguntaram mais...


Beijos e até.

2 comentários:

T@ti disse...

Hahaha Ai morri de rir do "UOMI" aehuahea
Pois é Poca, crianças são realmente imprevisíveis hehe. Que bom que se adaptaram bem e que voces também estão se adaptando também às novidades.
Eu acho que mudanças são sempre bem vindas e sempre oportunidades para se conhecer novas pessoas, novas situações. Coitadinha daquela criança que nunca passou por uma mudança dessas, pois quando mais velha vai ter trabalho pra aceitar estar situações que inevitavelmente acontecerão.

Tô sempre torcendo daqui e pelo que vejo (leio né?)tudo tem dado super certo! Vocês tiram tudo de letra!
Aposto que as babás vão sofrer muito mais que eles hehehe

Beijos!!!

Trimãe Paola disse...

Pois é Tati. Graças a Deus, estamos sempre driblando os imprevistos, ele bem sabe o que faz. Me deu 3, tá ajudando pra eu conseguir dar conta. rsrs Eu sei que você está sempre nos acompanhando, vejo pelos comentário e fico muito feliz pois gosto muito de você e toda sua família. Por falar nisso, Bebela está uma boneca! Que pena que estamos sempre nos desencontrando, mas vamos conseguir nos ver. E o seu pimpolho? Quando vem? Ou vai ficar com os filhos pets por enquanto? rsrsrs tenho visto seus pacientes também. Parabéns pela carreira, deve estar bem feliz fazendo o que mais gosta!